Aconteceu na noite de quarta-feira 20/03/2019 uma grande ação de apoio à comunidade de Macacos, distrito de Nova Lima que vem passando por um momento difícil devido ao medo da instabilidade de uma barragem de uma Mineração situado na região.

Com isto, a população e o comércio local, vem sofrendo com o afastamento dos frequentadores do vilarejo que vivem principalmente da atividade turística. Em uma ato de apoio, a comunidade off-road da Grande BH, reuniram no Bar do Marcinho, reduto dos praticantes para demonstrar a comunidade que podem contar com o apoio da classe esportista.

Durante o evento, membros de motoclubes, representantes da comunidade e comerciantes reforçaram ao público presente da importância de todos continuarem a frequentar o comércio local.

Esta ação tem o objetivo de ajudar e conscientizar o retorno das atividades em Macacos e contou com a participação dos pilotos dos motoclubes: Q4, Equipe Cobra, Cano Cheio Enduro Team, Barranco de Minas, TCMG, Cavucando Enduro Team BH, Equipe Endureza Trail, Equipe Trilha Certa, Equipe Trail Bull, Tarados com Sufoco, BH Trilheiros, Fast Brothers, Equipe Jair óleos Trail e Competição e FMEMG.

Por Leo Tavares, direto do Bar do Marcinho

A inscrição subsidiada oferecida pela Pro Tork segue pelo sexto ano consecutivo nos campeonatos paranaenses de motocross e velocross. A marca, considerada a maior fábrica de motopeças da América Latina e líder mundial na produção de capacetes, é parceira da Federação Paranaense de Motociclismo há 20 anos, realizando diversas ações em prol da modalidade no estado.

Quem utilizar determinados equipamentos não paga para participar das corridas ao longo da temporada. O valor costuma variar entre R$ 100 e R$ 150 por categoria, representando uma boa ajuda de custo aos participantes. Os itens obrigatórios são: conjunto Jett Evolution 2, capacete Jett Evolution 2, óculos Blast, colete Jett Lite, botas Jett Lite ou Jett Hi-Vis - com sola Tri-Compound e luva Pro Tork.

O piloto deve fazer a inscrição normalmente, assinalando a opção de subsídio, que o livrará automaticamente do pagamento. Porém, haverá fiscalização no parque fechado. Quem não seguir as regras será proibido de alinhar no gate, tendo que passar na secretaria de prova para a realização do pagamento. Vale ressaltar que ela só é válida para os pilotos filiados no Paraná e todos os pilotos oficiais Pro Tork do país.

A Pro Tork é patrocinadora da Federação Paranaense de Motociclismo.

Por Leo Tavares com a colaboração de ID – Assessoria de Comunicação Estratégica.