Romulo Bottrel foi o destaque da abertura do Campeonato Paranaense de Enduro FIM 2019, realizada neste domingo, dia 24 de fevereiro, no município de Cascavel, localizado na região Oeste do estado. O mineiro, que é bicampeão nacional na modalidade, venceu a categoria principal - E1.

“Minha esposa é de Guarapuava e passei a morar aqui nesta temporada, então, vou disputar toda a competição. A etapa foi excelente, bastante técnica, com trechos travados e ainda muito terreno liso, diferente do que estou acostumado. Será ótimo para aprimorar minha pilotagem”, explica.

Um percurso foi especialmente montado para a primeira etapa do ano, desafiando os competidores em todas as categorias. O traçado foi formado por um Cross Teste e três Enduro Teste, completando quatro voltas de 22km cada, sendo a primeira de reconhecimento.

Além de Bottrel, os demais vencedores do paranaense foram: Lucas Marques na E2, José Mario da Fonseca na E35, Valmir Maison na E45 e Matheus Marques na E4. Nas classes promocionais, quem levou a melhor foi Paulo Rogerio da Silva na Iniciantes Importada, Douglas Estoeberi dos Santos na Iniciantes Nacional, Alexandre Baldo na Cascavel Importada e Vilmar de Oliveira na Cascavel Nacional.

De volta as suas cidades, eles focam na preparação para a segunda etapa do Campeonato Paranaense de Enduro FIM 2019. O evento promete reunir outra vez os melhores atletas do estado, no dia 28 de abril, em Tamarana, região metropolitana de Londrina, no Norte.

Confira os resultados:

E1

1) Romulo Bottrel
2) Douglas Massucato
3) Eduardo Hiert
4) Eleandro Gurkevicz
5) Maycon Bruno Lara Rodella

E2

1) Lucas Busatto Marques
2) Osvaldo Júnior Garcia Gallo
3) Caio Cesar Carneiro
4) Gabriel Brandeieiro
5) Rodrigo Nunes Rocha

E35

1) José Mario da Fonseca
2) Alessandro Gonçalves Rodrigues
3) Claudio Gallo
4) Fernando Francisco Fortuna
5) Hugo Moreira de Queiroz

E45

1) Valmir Antonio Maison
2) Carlos Beluco
3) Claudio Zielinski
4) Gilberto Antonio Abramoski
5) Romeu Eurich

Enduro 4

1) Matheus Marques
2) Rodrigo Furchini
3) Claudio Kirnev
4) Anderson Weissheimer
5) Gilberto Rosa

Iniciantes Importada

1) Paulo Rogerio da Silva
2) Lucas da Silva
3) Vinicius Bellé
4) Ary Massucato
5) Eduardo Luiz Lorenzetti

Iniciantes Nacional

1) Douglas Estoeberi dos Santos
2) Bruno Cardoso
3) Eduardo Boeira
4) Anderson Nunes
5) Rafael Maggioni Lorenzett

Cascavel Importada

1) Alexandre Baldo
2) Elias Rosa
3) Giovani de Castilho
4) Edmir de Oliveira

Cascavel Nacional

1) Vilmar de Oliveira
2) Rodrigo Alves de Oliveira
3) Mauricio Venger
4) Vanderlley Prause

Por Leo Tavares com a colaboração e foto: ID Assessoria de Comunicação Estrategica.

No próximo domingo (24), o público que comparecer ao autódromo Circuito dos Cristais em Curvelo-MG verá as disputas emocionantes do Campeonato Mineiro de Motovelocidade, GP Gerais, que começa sua quarta temporada. 

De 300 a 1000cc estão programadas 4 corridas a partir das 10h30m, com motocicletas de série, disponíveis no mercado para utilização nas ruas e estradas e preparadas para a competição na pista. 

A abertura dos portões ao público será às 10h. O acesso ao Paddock  custa R$10,00 mais 1 kg não perecível. Uma inovação nesta temporada é Espaço Backer, com chopp liberado das 10h as 15h a um custo de 50 Reais com credencial de acesso ao box. Para estacionar dentro do autódromo o o visitante paga 10 Reais por veículo. Os ingressos serão vendidos somente no domingo no local do evento

Haverá o tradicional motopasseio às 13h, no intervalo entre as corridas. Oportunidade para os motociclistas presentes andarem na pista onde são realizadas as corridas. São 4.420 metros, 18 curvas e duas voltas guiadas para qualquer cilindrada. A única exigência dos organizadores é a utilização de capacete e calçado fechado, como medida de segurança. 

Confira a programação das corridas:

Abertura Campeonato Mineiro de Motovelocidade - GP Gerais 
Data: 24 Fevereiro - Domingo 
Local: Circuito dos Cristais - LMG 754/Rodovia dos Cristais, km 3, estrada entre as cidades de Curvelo e Cordisburgo. Acesso pela BR 040 antes do trevo de Caetanópolis. Distância da capital 143 km.

10h30m - Corrida Supersport 300cc
11h30m - Corrida Supersport 600cc/Light/Naked
13h - Motopasseio 
13h50m - Corrida Superbike 1000cc/Pro/Evo/Master
14h50m - Corrida Light 1000cc

Por Leo Tavares com colaboração de Falvio Bergman e foto do Canal CF.

A 11ª edição do Transcatarina será incrível... Isso porque, a cerca de cinco meses do evento, diversas novidades já foram anunciadas, deixando os participantes cheios de expectativas. De 09 a 13 de julho, pilotos e navegadores de diversas partes do Brasil estarão reunidos em uma aventura off-road de aproximadamente 800 quilômetros entre Fraiburgo e Blumenau (SC). 

Entre os anúncios feitos pela organização do Transcatarina – a SC Racing – está a criação de uma nova categoria: a Turismo Iniciante, que tem o objetivo de emparelhar a disputa pelo título entre os competidores que migrarão da Turismo Light para a Turismo. “Os off-roaders que saem da Turismo Light, não tem tanta experiência como aqueles que já estão na categoria Turismo, o que naturalmente, desequilibra a prova. Portanto, para tornar a ‘briga’ mais justa e preparar ainda melhor as duplas recém chegadas ao rali, criamos a Turismo Iniciante, assim, quando todos alcançarem a Turismo, estarão em condições de igualdade e prontos para deixar os ‘pegas’ ainda mais acirrados e terem chances de subir no pódio”, explicou o diretor geral da SC Racing, Edson João da Costa. 

Quem já está na contagem regressiva para o 11º Transcatarina, é o piloto Amarildo Senke e o navegador Rodrigo Dionizio Silva (de São José dos Pinhais, PR) – essa será a estreia da dupla, que entrou para o mundo dos ralis em 2017. “Estávamos nos preparando e adquirindo mais conhecimento e know-how para esse desafio. Nossos amigos sempre elogiaram o Transcatarina, e isso só aumentava a nossa vontade de acelerar pelas trilhas catarinenses”, disse o piloto Senke, que falou sobre a Turismo Iniciante. “De acordo com o regulamento, nós nos encaixamos dentro deste novo grupo e, com certeza, isso nos deixa mais confiantes quanto as nossas chances de aumentar a nossa galeria de troféus”, pontuou ele. 

O 11º Transcatarina tem categorias para todos os perfis de off-roaders, seja de competição (Máster, Graduados, Turismo e Turismo Light) e de passeio (Passeio Radical e Adventure). As inscrições estão abertas pelo site www.transcatarina.com.br. 

O 11º Transcatarina tem patrocínio de Hotel Renar. Apoio de SFI Chips, Grupo Gratt, Concessionária Trilha SC, Posto Maçã, Lave Bem Lavanderia, FD Stands Displays, RH Brasil – Recursos Humanos, Orangesun – Energia Renovável, Prefeitura Municipal de Blumenau, Prefeitura Municipal de Fraiburgo e Prefeitura Municipal de Rio Negrinho

Supervisão: FAUESC

Realização: SC Racing

Colaboração e foto: Liberdade de Ideias e Doni Castilho

Melhores provas se unem para realizar a disputa com cinco etapas nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Minas Gerais

A Copa Brasil de Enduro de Regularidade é novidade no calendário off road. O evento será composto pelas cinco melhores provas do país, sendo a abertura realizada neste fim de semana, dias 23 e 24 de fevereiro, durante o Enduro dos Pampas, com uma disputa inédita em Cambará do Sul (RS). Ela também será válida pela primeira etapa do Sul-Brasileiro.

Segundo o diretor da modalidade no Paraná e presidente da Comissão das Federações do Sul, Valdeci Martines, a ideia é fazer uma competição de ponta, reunindo os pilotos de destaque no país. “Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Minas Gerais unidos para fazer a diferença no esporte. Infelizmente, as corridas não serão mais válidas pelo brasileiro”, explica.

O Enduro dos Pampas será dividido em duas partes muito técnicas por trilhas e estradas secundárias da região, repletas de pedras, logo, a média de velocidade será baixa. No sábado, o percurso contempla 120 quilômetros, percorridos em seis horas. Já no domingo, mais 112 km, em cinco horas e meia. A largada está programada para as 8h, na praça central, com acesso liberado ao público.

Mais de 200 atletas já confirmaram presença, alcançando o limite estipulado pela organização para as nove categorias. Nomes como os dos campeões brasileiros Emerson “Bombadinho” Loth, Guilherme Cascaes, Péricles Dutra, Cláudio Hiert e Clécio Hiert compõem a lista. Os hotéis e pousadas do município já não dispõem de vagas.

Para Bombadinho, a Copa Brasil de Enduro de Regularidade promete. “Será um campeonato muito forte, com certeza. Os melhores eventos e pilotos da modalidade. Minha expectativa é boa, tenho treinado bastante e espero me sair bem na abertura, somando pontos importantes na classificação da Master”, afirma.

Serviço - Copa Brasil de Enduro de Regularidade 2019:

Etapa: 1 - Enduro dos Pampas
Quando: 23 e 24 de fevereiro
Onde: Cambará do Sul (RS)
Largada: às 8, na Praça Central
Entrada: franca
Informações: www.pampasoffroad.com

Calendário Copa Brasil de Enduro de Regularidade 2019:

23 e 24 de fevereiro: Enduro dos Pampas (RS)
30 e 31 de março: Enduro das Cachoeiras (PR)
18 e 19 de maio: Ipês Off Road (MG)
15 e 16 de junho: Enduro das Neves (SC)
6 e 7 de julho: Enduro das Fronteiras (SP)
Colaboração e foto: ID – Assessoria de Comunicação Estratégica

Grupo Orange inaugura nova concessionária O2BH Yamaha.. Na nova loja da Pedro II, o consumidor encontrará toda a linha 2019 da Yamaha, com destaque para a nova Lander 250 com ABS. Ainda terá oficina, boutique, consórcio e toda a confiança e credibilidade do Grupo Orange.

Serviço:
Nova O2BH Yamaha 
Local: Pedro II, 1897 Bairro Carlos Prates BH/MG 
Site: O2bh.com.br
Tel. : 31-3191 0050

Por Leo Tavares direto da nova loja da O2BH Yamaha.

A Yamaha MT-03 2020 é uma naked que pode ser resumida em três palavras: performance, agilidade e design agressivo. Juntas, elas resultam na mais pura sensação de prazer na pilotagem. A MT-03, assim como nos outros modelos da série MT (Master of Torque), faz parte do conceito The Dark Side of Japan, inspirado na criatividade e irreverência da subcultura japonesa.

PERFORMANCE - Muitos são os atributos capazes de encantar quem pilota uma MT-03, a começar pelo seu motor, que carrega o DNA Master of Torque e também equipa sua irmã esportiva YZF-R3, que disputa o campeonato Mundial de Superbike 300, o WorldSSP300.

Toda sua tecnologia e ímpeto podem ser sentida nas respostas rápidas ao acelerador, na força em baixas e médias rotações e na empolgante sensação nos giros mais altos, proporcionando uma pilotagem rápida e ousada. Quem a pilota, se apaixona.

O motor bicilíndrico em linha com capacidade cúbica de 321 cc da Yamaha, é capaz de capaz de gerar potência e torque máximos de 42,01cv a 10.750 rpm, e 3,02 Kgf.m a 9.000 rpm, respectivamente.

De concepção moderna, ele conta com duplo comando (DOHC -Dual Over Head Camshaft), 4 válvulas por cilindro, arrefecimento líquido e alimentação por injeção eletrônica. Na busca por desenvolver um motor de dimensões reduzidas, com baixo peso a alta performance, a Yamaha utilizou modernos processos de produção e materiais nobres, como nos pistões forjados em alumínio (similar aos utilizados em motos de competição) e no cilindro, com a tecnologia DiASil Yamaha, uma liga de Alumínio e Silício que proporciona menor vibração, melhor dissipação de calor e ganho em performance.

Parte do caráter atrevido da MT-03 se deve a sua eletrônica de última geração. Nela, a ECU de 16 Bit gerencia o moderno sistema de admissão que, em conjunto com a injeção eletrônica, é capaz de fazer com que a mistura de ar e combustível chegue de forma rápida à câmara de combustão. Com isso, a queima é mais eficiente, resultando em um consumo de combustível mais equilibrado e uma entrega de potência e torque mais contundentes. 

AGILIDADE E SEGURANÇA – No que se refere a agilidade, outra marca registrada do modelo, a MT-03 tem um comportamento surpreendente. Tudo nela foi pensado para torná-la uma motocicleta rápida e equilibrada, características bem-vindas tanto no uso urbano, quanto em estradas.

O sistema de escapamento é um bom exemplo desse esforço da Yamaha. Do tipo 2 x 1, ele conta com sistema de câmara de expansão, que reduz ruídos e melhora a performance, e sua ponteira com desenho arrojado e dimensões compactas, é posicionada junto ao centro do chassi para favorecer a centralização de massa. O benefício dessa concepção pode ser sentido no ótimo equilíbrio na pilotagem esportiva, e em sua reconhecida estabilidade.

Outros fatores que tornam a MT-03 uma motocicleta ágil e sobretudo fácil de ser pilotada, é a união de seu baixo peso de 169kg em ordem de marcha com à competente ciclística. Além da refinada geometria, que usa os mesmos 1.573mm de entre eixos da YZF-R1 de 2014 e ângulo de cáster de 25 graus, ela é composta pelo chassi em aço do tipo Diamond com dupla trave superior, que concilia resistência com leveza.

Também faz parte do pacote, as competentes suspensões. Na frente, o sistema é do tipo garfo telescópico com amortecedores com 41mm de diâmetro de tubos internos e 130mm de curso, na traseira, o sistema é do tipo Monocross, com balança assimétrica em aço, amortecedor único com sete regulagens na pré-carga da mola e curso 125mm.

Obviamente que uma motocicleta tão rápida e ágil também precisa ser segura, freando tão bem quanto acelera. E isso a MT-03 faz muito bem.

Ela é equipada com um eficiente sistema de freio na dianteira, composto por um disco ventilado do tipo flutuante, com diâmetro de 298mm e pinça de duplo pistão. Na traseira, o conjunto é formado por um disco ventilado é de 220mm, e por uma pinça com pistão único. Na prática, eles permitem frenagens em curtos espaços.

Além do ótimo poder de frenagem, a MT-03 também oferece, como item de série, a segurança do sistema de ABS nas duas rodas. Seja nas frenagens bruscas de emergências ou em condições em que o piso ofereça baixa aderência – como em dias chuvosos ou asfalto sujo ele evita que as rodas travem, minimizando riscos e aumentando a segurança.

DESIGN AGRESSIVO - Verdade seja dita: impossível não se curvar ao visual impactante e atraente da MT-03 2020. Seu design, chamado pela Yamaha de "visualização de performance", foi inspirado em um Guepardo, o mais rápido dos animais terrestres. Ele é capaz de transmitir a sensação de velocidade, agilidade e de leveza, as características mais marcantes dos modelos da linha MT.

Dá para perceber essa inspiração em suas linhas, desde o conjunto formado pela capa que envolve o tanque de combustível com capacidade de 14 litros e seus defletores de ar, a sua traseira elevada. Nela, a lanterna é em LED, o assento para o passageiro é bipartido e as alças de apoio eficientes, todos desenhados para oferecer arrojo estético, mas sem abrir mão da funcionalidade.

Outros detalhes que agregam beleza à MT-03, são as rodas em liga leve de 17 polegadas de diâmetro com 10 raios – as mesmas da R3. Elas são calçadas pelos pneus radiais tubeless – sem câmara, com as medidas de 110/70 -R17M/C 54H na dianteira, e 140/70 -R17M/C 66H na traseira.

Também merece destaque pela beleza e funcionalidade, o moderno e completo painel da MT-03. No display de LCD, são informados a velocidade, marcha utilizada, nível do combustível, temperatura do motor, relógio, hodômetro total e dois parciais, e até mesmo o momento da troca de óleo, consumo médio e instantâneo. As rotações do motor são mostradas através de um conta-giros esportivo analógico, facilitando a rápida leitura e conferindo ainda mais esportividade ao painel.

Única da categoria que permite personalizar o seu momento de troca de marcha, o painel da MT-03 conta com SHIFT LIGHT. Ele pode ser ajustado facilmente de acordo com a preferência do condutor, seja no nível de luminosidade (com três opções), na forma de acendimento (intermitente ou fixa), ou na rotação desejável a partir dos 7.000 rpm.

A nova MT-03 estará disponível na rede de concessionárias Yamaha a partir da primeira semana de fevereiro de 2019 e terá três opções de cores. o Cinza Fosco (Ice Fluo), o Preto Metálico (Midnight Black) e o Azul Metálico (Racing Blue). Seu preço público sugerido será de R$ 21.990,00+frete.

Por Leo Tavares direto da redação com a colaboração da Yamaha do Brasil

 Na comparação com o mesmo período de 2018, houve aumento de 3,4%. A média diária de vendas foi de 4.123 unidades Em janeiro, as fabricantes de motocicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus – PIM produziram 84.106 unidades, o que representa alta de 3,4% na comparação com o mesmo mês do ano passado (81.306 motocicletas). De acordo com os dados divulgados pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo, esse volume também é 24% superior na comparação com dezembro passado (67.812 unidades).

Ao avaliar os números alcançados neste início de ano, Marcos Fermanian, presidente da entidade, afirma que este desempenho reforça a projeção da entidade de crescimento de 4,2% na produção de motocicletas em 2019.

“Hoje, o cenário macroeconômico é bastante favorável: temos inflação sob controle, queda nas taxas de juros e nos índices de inadimplência. Esse tripé trouxe de volta às concessionárias o consumidor que deseja uma motocicleta zero quilômetro e com mais recursos tecnológicos e de segurança”, diz.

VENDAS NO ATACADO

O repasse de motocicletas para as concessionárias também manteve a curva ascendente dos últimos meses e registrou alta 13,5% neste início de ano. Em janeiro, as fabricantes enviaram 81.655 unidades para as lojas, ante 71.967 motocicletas registradas no mesmo mês de 2018. Em relação a dezembro, o aumento foi de 22% (66.915 unidades).

DESEMPENHO POR CATEGORIA

Entre as categorias de motocicletas mais comercializadas no primeiro mês do ano, a liderança ficou com a Street, com 54,1% de participação (44.146 unidades). Na sequência aparecerem a Trail, com 18,9% (15.451 unidades); Motoneta, com 15,5% (12.637); Scooter, com 5,3% (4.319) e Naked, com 2,5% (2.073).

Confira a seguir as características básicas das motocicletas de cada categoria:

Street – Motocicleta de baixa ou média cilindrada destinada ao uso urbano.

Trail – Motocicleta de baixa ou média cilindrada destinada ao uso misto, tanto em vias pavimentadas quanto em terreno não pavimentado.

Motoneta – motociclo underbone, pilotado com o condutor na posição sentado, destinado ao uso urbano, de baixa cilindrada e dotado de câmbio automático ou semiautomático.

Scooter - Motociclo pilotado com o condutor na posição sentado e dotado de câmbio automático ou semiautomático, concebido para privilegiar o conforto.

Naked – Motocicleta sem carenagem, com motor propositalmente exposto e de alto desempenho, concebida para a utilização em terrenos pavimentados. Semelhante a uma motocicleta versão “sport”, sem a carenagem.

Big Trail – Motocicleta de média ou alta cilindrada destinada ao uso misto em terrenos pavimentados e não pavimentados.

Off Road – Motocicleta de qualquer cilindrada destinada exclusivamente à utilização em pisos não pavimentados.

Custom – Motocicleta caracterizada por sua vocação para percursos de estrada, destacadamente os mais longos, chamadas de “estradeiras”, que não priorizam velocidade e, sim, conforto.

Sport - Motocicletas de cilindradas médias ou superiores com carenagem que privilegia a aerodinâmica e o alto desempenho.

Ciclomotor – Veículo de duas ou três rodas, provido de um motor de combustão interna, cuja cilindrada não exceda a 50 cm³.

Touring – Motocicletas usualmente de alta cilindrada concebidas para a utilização em turismo e viagens de grandes distâncias.

EMPLACAMENTOS

Segundo dados do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), em janeiro foram emplacadas 90.704 motocicletas, alta de 17,8% na comparação com o mesmo mês do ano passado (76.993 unidades). Em relação dezembro passado (84.063 unidades), o aumento foi de 7,9%.

Apesar de janeiro ser considerado um mês habitualmente de menor volume de vendas devido às férias de verão e ao recesso escolar, a média diária de vendas foi de 4.123 unidades, volume 1,9% menor do que ao alcançado em dezembro (4.203 motocicletas) e 17,8% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado (3.500 unidades).

SCOOTERS NO VAREJO

Os emplacamentos de scooters em janeiro somaram 6.655 unidades,  13,3% superior  ao volume alcançado no mesmo mês do ano passado (5.872 unidades). Na comparação com dezembro, o crescimento foi de 26,8% (5.250 unidades).

EXPORTAÇÕES

Dados da Abraciclo mostram também que as exportações somaram 4.570 unidades no primeiro mês do ano, correspondendo a uma queda de 44,5% na comparação com janeiro de 2018 (8.227 motocicletas). O presidente da Abraciclo explica que o Setor de Duas Rodas também sofre as consequências da crise da Argentina, que vinha sendo o principal destino das motocicletas produzidas no PIM. Contudo, na comparação com dezembro passado (3.011 unidades), houve crescimento de 51,8%.

De acordo com dados do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat analisados pela Abraciclo, os Estados Unidos, com 53,9% de participação (1.224 unidades), transformaram-se no principal destino das motocicletas brasileiras em janeiro. Em seguida ficou a Austrália, com 18,1% do volume exportado (412 unidades), e em terceira posição a Argentina, com 15,3% (348 unidades).

Colaboração e foto: Abraciclo/Arquivo CF

Os trabalhos com a preparação do Rally Ecológico Cuiabá 300 anos estão a mil por hora; e, pensando também nos competidores que pela primeira vez disputarão uma prova off-road ou, ainda, que tem pouca experiência com rali de regularidade, a Cronorally – empresa que está a frente do evento – promoverá um curso de navegação. A aula está marcada para o dia 27 de março (quarta-feira), às 19h30, no auditório do Grupo Gazeta de Comunicação, localizado na Rua Professora Tereza Lobo, nº 30, Bairro Consil (anexo a TV Vila Real). 

Os participantes terão uma hora e meia para aprender como fazer a leitura de uma planilha (livro de bordo utilizado durante as competições) e tirar todas as dúvidas sobre o “código tulipa” – desenhos que substituem palavras, como sinais de vire a direita, vire a esquerda, erosões, pontes etc. 

A palestra será ministrada pelo diretor de prova do Rally Ecológico, Haroldo Pires, que há mais de 20 anos viaja o País transferindo conhecimento e ensinando os estreantes do rali de regularidade. “É muito importante a presença dos inscritos, principalmente os novatos, porque além de mostrarmos o ‘bê-á-bá’ da navegação, faremos alguns comunicados oficiais sobre o certame do dia 30 de março”, declarou Pires. 

E a programação continuará no dia 28 de março (quinta-feira), mas desta vez aos clientes inscritos das concessionárias Toyota, que receberão essas informações no auditório da Orion Veículos, na Avenida da Feb, em Várzea Grande. 

De acordo com a programação oficial do Rally Ecológico, no dia 29 de março (sexta-feira) todos os inscritos deverão retirar o kit com a camiseta oficial para adesivagem dos veículos na Via Láctea/Toyota, localizada na Avenida Fernando Corrêa, a partir das 19h. Os pilotos da categoria moto receberão ainda um pochete da Skivo. A largada será no dia 30 de março (sábado), a partir das 8h no Parque Tia Nair. 

As inscrições estão abertas no site cronorally: www.cronorally.com.br/eventos/rally-ecologico-cuiaba-300-anos/inscricao/

  

O Rally Ecológico Cuiabá 300 Anos é uma realização da Prefeitura Municipal de Cuiabá, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo e Cronorally, com apoio das secretarias municipais de Meio Ambiente, Ordem Pública, Serviços Urbanos, Semob, Batalhão de Polícia Ambiental e Juvam.

Patrocínio de Toyota Via Láctea, Orion Veículos, Sena Pneus, Bridgestone, CDL, Sindipetróleo, Fórmula Lubrificantes, Postos Morada, Lojas Tonon, Capemisa Corretora de Seguros, Elitte Multiserviços, Skivo Equipamentos, Moto Raça Cuiabana, Ácqua Park Cuiabá, CM Viagens e D'Rent a Car 

Colaboração e foto: Liberdade de Ideias 

Comunicado da Adrenatrilha Trail Club, organizadora da Copa EFX Brasil e da Copa Adrenatrilha de Cross Country.

Caros amigos,

Hoje, dia 11 de fevereiro de 2019, em nome da Adrenatrilha Trail Club venho comunicar a todos os nossos amigos, parceiros, patrocinadores e imprensa, que no ano de 2019 não realizaremos a Copa EFX Brasil e o CACC.

Depois de muitos anos incentivando e fomentando a modalidade off-road no Brasil, decidimos que teremos que dar uma parada, neste momento.

Quem nos acompanha, alguns desde o começo de nossa trajetória, há cerca de 30 anos, sabe que em nossas provas sempre procuramos proporcionar novidades e melhorias, com o objetivo de trazer visibilidade ao nosso amado esporte, sobretudo, priorizando a segurança e o divertimento de nossos pilotos, suas equipes e famílias, com muita responsabilidade.

Mas tudo tem um custo e, infelizmente, neste ano, não conseguimos patrocinadores o suficiente para manter e realizar os eventos de nossos campeonatos. Tínhamos como patrocinador principal a Honda, que se propôs a manter o patrocínio que temos há anos também para 2019, mas infelizmente não representa o investimento necessário para que possamos dar continuidade ao nosso trabalho.
 
Desde outubro de 2018 estamos prospectando novos parceiros e tentando renovar com upgrade parcerias que já nos apoiam, porém está difícil para todos. Além do fato de este ano acontecer o renomado evento Salão Duas Rodas, onde as empresas do meio investem grande parte de suas verbas de marketing. Assim sendo, depois de contatar mais de 20 empresas tivemos respostas positivas de algumas, mas a maioria foi declinando.

Não vou falar que será um adeus aos eventos realizados pela Adrenatrilha, pois o futuro a Deus pertence. Até porque, torço muito pelo esporte, em que dediquei 33 anos de minha vida. Eventos off-road são a minha paixão e a minha especialidade, e sempre serão. Isso independe de dinheiro, nunca acabará.

Agradeço à Honda pelos 6 anos de parceria e o empenho por tentar viabilizar mais uma vez os nossos campeonatos. Agradeço também a todos os demais parceiros que ao longo de todos estes anos nos ajudaram a construir nossa história e o legado que estamos deixando para o esporte no Brasil.

Por fim, nos vemos no dia 10 de março de 2019, na cidade de Ribeirão Pires, que sediará a 5ª edição da Copa EFX da Mulher, evento que ficou marcado no mundo off-road pela representatividade e valorização da mulher no esporte.

"Vida que segue"...

Abraço,

Fábio Simões (Fabião), diretor da Adrenatrilha Trail Club

Não é por acaso que a Equipe O2BH é uma das equipes mais competentes e vitoriosas do país. Criada e sediada em Belo Horizonte MG, uma região considerada o coração do enduro no Brasil, a Equipe colecionou várias vitórias e títulos em 2018 e para a temporada deste ano, segue a receita de sucesso: apostar em consagrados pilotos para continuar sua vitoriosa trajetória. Dentre seus diferenciais, o talento e amor pelo motociclismo off-road são o combustível que move a Equipe.

Jomar Grecco é o piloto mais experiente da Equipe O2BH. Ao guidão das WR250F e WR450F, o capixaba de 43 anos disputará os Campeonato Brasileiro de Regularidade, Campeonatos Capixaba de Enduro FIM e de Regularidade, e tentará o bicampeonato no Ibitipoca Off Road e hexacampeonato no Enduro da Independência.

por Leo Tavares direto do evento da Yamaha em SP.