De volta à ponta da tabela. Depois de liderar o Rally Dakar 2019 nas duas primeiras etapas, a dupla Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin, da equipe Monster Energy/Can-Am, finalizou a sétima etapa no segundo posto e reassumiu o primeiro lugar da disputa para UTVs nesta segunda-feira (14), em San Juan de Marcona, no Peru. Atuais campeões da categoria, os brasileiros possuem vantagem de 4min03seg sobre os chilenos Francisco Lopez Contardo e Álvaro Quintanilla, que ocupam o segundo lugar do ranking, de acordo com os resultados extraoficiais. Os competidores utilizam o Can-Am Maverick X3 no desafio, o veículo que dominou as 14 primeiras posições da tabela de classificação dos UTVs.

“Voltamos para a prova. Reassumimos a liderança e agora não pretendemos perdê-la de novo”, disse o piloto Reinaldo Varela. “Correu tudo bem na sétima etapa. Tivemos um pneu furado no começo do dia, mas isso é algo normal de se acontecer em um rally. O UTV está ótimo, isso que importa.”

Faltando três etapas para o final, o navegador Gustavo Gugelmin dá a receita para a vitória: acelerar sem dó. “Estamos de volta à briga, pouco mais de quatro minutos à frente dos segundos colocados. Faltam só três dias, temos que acelerar, não tem essa de administrar a vantagem agora”, garantiu. Os vencedores do 41º Rally Dakar serão conhecidos no próximo dia 17, na capital Lima.

Além da vitória da dupla formada por Varela e Gugelmin, o Brasil foi destaque na etapa com a quarta e a quinta colocações de Marcos Baumgart/Kleber Cincea e Cristian Baumgart/Alberto Andreotti, respectivamente. A etapa desta segunda-feira teve largada e chegada na cidade de San Juan de Marcona. Foram percorridos 387 quilômetros, sendo 323 quilômetros de trecho cronometrado. Nesta terça-feira (15), os competidores vão a Pisco, enfrentando mais 575 quilômetros de desafios (360 deles de especiais).

O Rally Dakar 2019, realizado integralmente em um só país, o Peru, pela primeira vez em sua história, conta com 10 etapas e mais de 5 mil quilômetros no total (cerca de três mil quilômetros de especiais). Além de UTVs, a competição possui categorias para motos, carros, quadriciclos e caminhões.

Rally Dakar 2019 - Categoria UTVs (SxS)

Resultados da 7ª etapa (extraoficiais)

1 - #360 - Francisco Contardo / Álvaro Quintanilla (CHI) - 4:30:08 - Can-Am Maverick X3
2- #340 - Reinaldo Varela / Gustavo Gugelmin (BRA) - 4:52:12 - Can-Am Maverick X3
3 - #421 - Rodrigo Piazzoli / Jorge Diaz (CHI) - 4:53:16 - Can-Am Maverick X3
4 - #412 - Marcos Baumgart / Kleber Cincea (BRA) - 5:01:34 - Can-Am Maverick X3
5 - #398 - Cristian Baumgart / Alberto Andreotti (BRA) - 5:05:32 - Can-Am Maverick X3
6 - #372 - Miguel Jordão (POR) / Lourival Justo (BRA) - 5:13:19 - Can-Am Maverick X3
7 - #418 - José Hinojo Lopes / Javier Blaco (ESP) - 5:22:11 - Can-Am Maverick X3
8 - #431 - Jose Salaverry / Paul Aray (PER) - 5:32:31 - Can-Am Maverick X3
9 - #343 - Casey Currie (EUA) / Rafael Córdoba (ESP) - 5:36:22 - Can-Am Maverick X3
10 - #342 - Juan Carlos Vallejo (CHI) / Leonardo Baronio (PER) - 5:54:00 - Can-Am Maverick X3

Classificação acumulada após sete etapas (resultados extraoficiais)

1- #340 - Reinaldo Varela / Gustavo Gugelmin (BRA) - 31:33:41 - Can-Am Maverick X3
2 - #360 - Francisco Contardo / Álvaro Quintanilla (CHI) - 31:37:44 - Can-Am Maverick X3
3 - #421 - Rodrigo Piazzoli / Jorge Diaz (CHI) - 32:19:07 - Can-Am Maverick X3
4 - #358 - Gerard Guel / Daniel Carreras (ESP) - 32:35:49 - Can-Am Maverick X3
5 - #343 - Casey Currie (EUA) / Rafael Córdoba (ESP) - 33:26:39 - Can-Am Maverick X3
6 - #412 - Marcos Baumgart / Kleber Cincea (BRA) - 33:40:03 - Can-Am Maverick X3
7 - #372 - Miguel Jordão (POR) / Lourival Justo (BRA) - 34:11:31 - Can-Am Maverick X3
8 - #398 - Cristian Baumgart / Alberto Andreotti (BRA) - 34:29:48 - Can-Am Maverick X3
9 - #344 - Sergei Kariakin (RUS) / Anton Vlasiuk (LET) - 34:41:34 - Can-Am Maverick X3
10 - #418 - José Hinojo Lopes / Javier Blaco (ESP) - 34:55:41 - Can-Am Maverick X3

Roteiro do Rally Dakar 2019:

8ª etapa - Terça-feira (15/1)
San Juan de Marcona/Pisco
Quilometragem total - 575 km 
Trecho especial (cronometrado) - 360 km

Por Leo Tavares com a colaboração de Mundo Press e com foto de Victor Eleuterio

Dakar é sinônimo de perrengue. E as duplas do X Rally Team, equipe brasileira que compete entre os UTVs no principal rali do planeta, vêm tirando esta conclusão dia após dia. No domingo (14) foi disputada a sexta de dez etapas da prova, no dia mais longo de competição até agora, com 310 quilômetros cronometrados de um total de 810 enfrentados entre Arequipa e San Juan de Marcona.

Ambos os irmãos Baumgart tiveram de parar por diversas vezes pelo caminho pelos mais variados motivos: troca de pneus, de correia de motor, atoleiros, tombamentos, caminhos fechados por outros competidores, etc.. Isso tendo de enfrentar altíssimas dunas no trecho cronometrado.

“Hoje foram as dunas mais altas e mais difíceis. Três trocas de correia, uma que demorou 20 minutos para trocar porque ela deu um nó, um pneu furado e uma atolada. Um dia completo, em resumo. A navegação foi muito legal, com um waypoint muito escondido atrás de uma duna gigante; conseguimos, voltamos e completamos mais um dia. Mas foi muito difícil mesmo, bem pesado. O Bruno (Varela) e o Maykel (Justo) ajudaram a gente quando atolamos, e temos de agradecê-los pela ajuda”, revela Beco Andreotti, navegador de Cristian Baumgart, que continuou:

“Areia muito fofa o tempo todo. Atolamos em uma duna, aí contamos com a ajuda do Bruno Varela, que conseguiu puxar o nosso carro. Depois trocamos outra correia, furamos um pneu, quebrou mais uma correia... Pouca gente chegou, e estamos felizes em completarmos mais este dia. Foi um grande desafio”, resumiu o piloto, que terminou o dia com o 11º melhor tempo, pouco mais de uma hora e meia após os vencedores da etapa, a dupla chilena Francisco Lopez Contardo e Alvaro Quintanilla.

O navegador Kleber Cincea resumiu o que se vive no Dakar. “Com a gente aconteceu um pouco de tudo, vários problemas. O principal foi a pista bloqueada. O Bruno Varela teve algum problema e parou em um cânion, bloqueando todo o caminho: tinha carro, caminhão, UTV, todo mundo tentando achar uma saída, mas o local era uma reta, com paredão alto dos dois lados, e era muito difícil de sair. Conseguimos subir em uma parte menos íngreme, desviamos, e na hora de voltar para a rota o UTV tombou. Desviramos e seguimos em frente. Perdemos muito tempo, uma especial muito difícil. A organização prometeu e cumpriu, com dunas muito altas. Havia um waypoint na crista da duna mais alta do dia. Incrível”, descreveu.

“Só perrengue, mas estamos aí. É sempre uma alegria chegar ao bivouac e encontrar a equipe. Uma prova muito dura, mas o problema foram as consequências dos problemas, que acontecem, mas nos tomam muito tempo”, resumiu Marcos, que fechou o dia com a 13ª posição, sete minutos atrás de Cristian e Beco.

Na classificação geral, os espanhóis Gerard Guell e Daniel Carreras lideram entre os UTVs, com as duplas do X Rally Team ocupando lugares entre os dez melhores: Marcos e Kleber aparecem na nona colocação, uma posição à frente de Cristian e Beco.

Nesta segunda-feira (14), sétimo dia de competição, o ponto de partida e chegada é o mesmo. As equipes permanecem em San Juan de Marcona, e os competidores terão 64 quilômetros de deslocamentos e enfrentarão o cronômetro por 323 quilômetros. Cristian e Beco, no 398, largam às 8h14 locais (11h14 do Brasil), enquanto Marcos e Kleber partem dois minutos depois.

Resultado – UTVs (SxS):
6ª etapa: Arequipa – San Juan de Marcona (310 km cronometrados)
11. Cristian Baumgart/Beco Andreotti (Can-Am) – 5h43min30s (1h31min22s do líder)
13. Marcos Baumgart/Kleber Cincea (Can-Am) – 5h50min29s (1h38min21s do líder)

Classificação geral – UTVs (SxS):
9. Marcos Baumgart/Kleber Cincea (Can-Am) – 29h10min51s (3h01min58s do líder)
10. Cristian Baumgart/Beco Andreotti (Can-Am) – 29h24min16s (3h15min23s do líder)

O TRAJETO DO DAKAR 2019 NO PERU
14/01 (seg): 7ª Etapa: San Juan de Marcona > San Juan de Marcona
(Deslocamentos: 64 km; Especial: 323 km; Total; 387 km)
15/01 (ter): 8ª Etapa: San Juan de Marcona > Pisco
(Deslocamentos: 215 km; Especial: 360 km; Total; 575 km)
16/01 (qua): 9ª Etapa: Pisco > Pisco
(Deslocamentos: 96 km; Especial: 313 km; Total; 409 km)
17/01 (qui): 10ª Etapa: Pisco > Lima
(Deslocamentos: 247 km; Especial: 112 km; Total; 359 km)
TOTAL DE ESPECIAIS: 2.956 km
TOTAL DAKAR: 5.600 km

Por Leo Tavares com colaboração de P1 Media Relations com foto de Marcelo Machado/photosdakar.com