Depois de quatro meses intensos de preparações para realizar o Grande Prêmio da França, em substituição ao GP da Inglaterra, o Moto Club Mazanais não decepcionou e fez uma prova com muita qualidade e em alto nível. As especiais exigiram ao máximo dos melhores pilotos do mundo. Por causa da poeira, o Cross Country que seria realizado neste domingo foi cancelado e a organização partiu pro plano B, realizando uma prova nos moldes do primeiro dia, um enduro tradicional, com três voltas e seis especiais cronometradas.

O brasileiro Bruno Crivilin, que retornava de um período de recuperação de uma lesão no ombro, conseguiu mais uma vez finalizar os dois dias de prova entre os Top 10 e assim se mantém entre os primeiros no campeonato. Apesar dos excelentes resultados, o piloto não ficou satisfeito.

“O tempo que fiquei parado, quase três semanas sem treinos, acabou atrapalhando. A lesão no ombro não atrapalhou o resultado, mas a falta de ritmo sim. Estava sem confiança para atacar mais, mesmo sabendo que poderia ser muito mais rápido”, explicou o representante brasileiro no Mundial de Enduro, da Equipe Orange BH KTM América Racing. 

Apesar de não estar no melhor ritmo, o piloto conquistou dois oitavos lugares na prova. Neste domingo, apenas 15 segundos o separaram de um pódio inédito para o Brasil e um terceiro lugar na classificação. O brasileiro também fez bonito no sábado e no Super Straight, desafio com pedras, pneus, troncos, rampas e costelas, conquistou um terceiro e um quarto lugares, a menos de um segundo do melhor colocado.

“Mais uma vez passei muito perto de subir no pódio. Mas o sentimento é bom , deu pra ver que é possível e que estamos muito próximos. Mesmo sem estar no meu melhor ritmo pela falta de treinos, consegui andar junto da turma e neste domingo briguei pela terceira colocação durante toda a prova. A minha participação no Mundial e esse tempo aqui na Europa, tem sido muito bons. Fico muito feliz por conseguir tantas coisas e tenho que agradecer demais a minha equipe Orange BH KTM América Racing e todos nossos patrocinadores, por ajudarem a viabilizar isso. Sem dúvida, sem o esforço de todos nada disso seria possível”, disse o Campeão Brasileiro de Enduro 2018.

Agora Crivilin embarca para o Brasil, onde no próximo final de semana defende a invencibilidade no Campeonato Brasileiro, depois de vencer todas as etapas do ano. Será a etapa final e a chance de encerrar a temporada com chave de ouro. Após comemorar o campeonato com a equipe e familiares, Crivilin retorna novamente para a Europa, onde disputa a última prova do Mundial, na Alemanha, nos dias 12, 13 e 14 de outubro.

A Orange BH KTM América Racing tem o patrocínio de Kenda Pneus, ASW, Motul, ProX, Dragon, Gaerne, Circuit, BMS, W-Tech, Stick´s, Durag, Solo, Exceed, MRPro, Academia PIC, e Alex design. É mais uma equipe de competição do Grupo Orange, líder em vendas no Brasil com as bandeiras KTM, Yamaha e Kawasaki. Possui uma loja com mais de 4.000 itens em acessórios e equipamentos para prática motociclista on e off road, para uso urbano e recreativo. Motos novas, seminovas e consórcio.

Colaboração e foto: Grupo orange BH/Fred Ccy

Se você é gosta de moto e quer curtir uma aventura diferente do tradicional , olha só que legal o evento que será promovido pela Motorrad Experience: 1º Motorrad Experience Camp entre os dias 26 a 28 de outubro 2018.

A ideia é proporcionar uma nova forma de curtir o mototurismo sem abrir mão do conforto e segurança, com uma programação feita para quem quer viver novas e valiosas experiências tanto para pilotos quanto garupas.

E durante o encontro, clínicas voltadas para mecânica básica para viagem e muitas dicas com o experiente piloto Luciano Peixoto. E tudo em um só lugar, Camping Valle das Águas em Socorro/SP.

Inscrição e informações nowww.motorradexperience.com.br/produto/motorrad-experience-camp/

Por Leo Tavares, direto da redação.

 

Após dois meses de espera, as emoções do Campeonato Brasileiro de Rally Baja estão de volta. A cidade de Capão Alto, em Santa Catarina, recebe as feras da modalidade neste fim de semana (dias 22 e 23), no Rally Rota SC. As disputas serão válidas pela nona e pela décima etapas do calendário nacional. A categoria para UTVs promete show à parte e forte presença dos veículos Can-Am Maverick X3, grande maioria no grid.

Entre os destaques, estão os pilotos da conhecida Família da Poeira. O patriarca e atual campeão dos UTVs no Rally Dakar Reinaldo Varela garantiu presença, bem como seus filhos Rodrigo Varela, líder do Brasileiro de Baja, e Bruno Varela, vencedor da categoria no Rally Merzouga 2018 e no Rally dos Sertões 2017. Deni Nascimento (Sanautica) e Maurício Pena Rocha (Quadrijet) também reforçam a lista de inscritos.

Reinaldo Varela já está em fase de preparação intensa para a defesa do título dos UTVs no Rally Dakar 2019. “A ideia é competir o máximo possível para chegar no Dakar com um bom ritmo de prova. Estar nas provas proporciona experiências a mais e um entrosamento melhor ainda com o equipamento. Por isso, estou animado em acelerar o Can-Am Maverick X3 no Rally Rota SC”, explicou. 

Líder isolado dos UTVs no Brasileiro de Rally Baja, Rodrigo Varela está de olho no título da temporada. “As expectativas são ótimas para o Rally Rota SC. A prova costuma ser rápida e com piso de cascalho, no qual eu gosto muito de andar. A meta é trabalhar para manter a liderança, o objetivo maior é conquistar o campeonato. Tenho uma boa vantagem e vou acelerar com consciência”, disse o piloto.

O Rally Rota SC, patrocinado pela concessionária BRP Montreal Powersports, também conta com categorias para quadriciclos e motocicletas. A base do evento será o Parque Municipal de Eventos José Vieira de Cordova, sendo que os competidores têm pela frente mais de 270 quilômetros de desafios. Confira a programação:

Rally Rota SC - 9ª e 10ª etapas do Brasileiro de Rally Baja 2018
Parque de Apoio: Parque Municipal de Eventos José Vieira de Cordova, em Capão Alto (SC) 

Programação*

Sexta-feira (21/9)

Das 14h às 18h - Vistorias administrativas
Das 15h às 18h - Vistorias técnicas

Sábado (22/9)
8h30 - Briefing
9h - Prólogo para definição da ordem de largada (percurso de 1,1 km no Parque de Apoio) 
10h - Largada do primeiro piloto no primeiro trecho cronometrado (74,5 km)
12h - Largada do primeiro piloto no segundo trecho cronometrado (74,5 km)
14h - Largada do primeiro piloto no Super Prime (1,5 km) 20h - Briefing
 

Domingo (1/7)

8h30 - Largada do primeiro piloto no trecho cronometrado (121 Km)
8h30 - Largada do primeiro piloto no Super Prime (1,5 Km).

* A programação é fornecida pela organização do evento e está sujeita a alterações.

Colaboração: Mundo Press/Doni Castilho

A Royal Enfield lançou, na terça-feira (18), a moto Pegasus no Brasil. O modelo foi inspirado na Flying Flea, que se tornou conhecido por ser usada na Segunda Guerra Mundial. Por ser uma edição limitada, serão apenas 60 unidades da Pegasus para o Brasil entre as 1.000 motos fabricadas para todo o mundo. 

O modelo poderá ser reservado pelo site da marca a partir do dia 19 de setembro e terá o preço de R$ 24.900,00.

Por Leo Tavares direto da redação.

Vai rolar neste fim de semana (22/09) mais um TrackMix no circuito dos Cristais em Curvelo/MG.
Fica ai a dica para acelerar tudo em um lugar seguro e com uma completa infra estrutura.
Para saber mais, entre em contato no (31)99939-6783 (WhatsApp).

Por Leo Tavares direto da redação.

No próximo final de semana Bruno Crivilin disputa mais uma etapa do Mundial de Enduro, dessa vez na França. A prova desta vez terá um formato diferente do tradicional.

No sábado, às 9h15 da manhã (4h15 da madrugada no Brasil) os pilotos largam para cinco voltas no percurso com dez Enduro Testes. Às 17 horas (meio-dia no Brasil) será a vez do SUPER STRAIGHT, onde os pilotos largam em disputas lado a lado, em uma pista de 300 m de reta com troncos, saltos, pneus e pedras (como o Red Bull Straight Rhythm). Cada piloto encara a pista, uma vez de cada lado, valendo como Testes 11 e 12.

No Domingo será a vez dos pilotos encararem um Cross Country de duas horas e meia, com largada às 15h (10 da manhã no Brasil). 

Vale a torcida de todos os brasileiros para o nosso piloto Bruno Crivilin!

colaboração e foto: Janjão Santiago

A cidade de Morrinhos (GO) foi neste sábado (15) e domingo(16) palco da 6ª etapa do Brasileiro e 2ª etapa do Campeonato Goiano de Motocross. Um final de semana com boas disputas e muita adrenalina, já que o brasileiro se aproxima do final da temporada.

Aproximadamente 15 mil pessoas compareceram nos dois dias de prova realizada neste fim de semana no interior goiano. No domingo, correram pelo Brasileiro seis categorias, sendo 65cc, MX2, MX2JR, MX1, MXJR e Elite MX.

Os jovens pilotos da 50cc deram um espetáculo na pista, ditando o ritmo do dia do campeonato brasileiro de motocross. A corrida foi marcada por uma disputa emocionante entre Gustavo Maurício que largou na frente e Francisco Emilio, que liderava o campeonato.  Francisco Emilio, teria conquistado o segundo lugar do pódio se não fosse desclassificado por não ter permanecido  no parque fechado após a prova, conforme determinado em regulamento. Com a punição, o piloto deixa sua situação um pouco mais delicada na competição.

A segunda prova do dia foi marcada pelas as categorias MX2 e MX2JR, que apesar de correm juntas pontuam separadamente.  Fábio Santos, da equipe Yamaha e Lucas Dunka (Honda), estiveram lado a lado pela briga da primeira posiçãa na MX2. Mas o topo do pódio de ambas categorias foi azul com Fábio Santos (MX2)  e  Tallys Nathan pela MX2JR , pilotos da equipe Yamaha.

Na primeira bateria da MX1, destque para a recuperação do espanhol Carlos Campano, que não fez uma boa largada, mas teve uma rápida recuperação logo nos minutos iniciais da prova,  subindo cinco posições e alcançando Jetro Salazar (equipe Honda), que chegou a liderar boa parte da corrida. Uma prova marcada por várias trocas de posições, entre Jetro e Campano e Hector Assunção (Honda) e Paulo Alberto (IMS). A motocicleta do espanhol chegou a enroscar com um bump da pista, mas isso não impediu Campano de subir no lugar mais alto do pódio, deixando Jetro Salazar (equipe Honda) com a segunda posição.

Na MXJR muitas quedas deixaram apreensivo o público presente. Marcelo Leodorico (#44), que vinha liderando a bateria sofreu uma queda, e acbaou levando vários pilotos ao chão, entre eles Gabriel Mielke (#102), Brayan Soares (#96) e Henrique Heicka (#202). Os pilotos José Antônio Pedro (#89),Brayan Soares (#96) e Gabriel Milke ( #102) foram punidos em cinco posições por saltarem na bandeira amarela. Punições também marcaram as categorias 65cc. Os pilotos Raul Nunes, Bruno Leal e Renato Cobucci receberam auxílio externo e foram punidos em vinte segundos.

Um show a parte foi a MX Elite, com ultrapassagens que emocionaram o público. Jetro Salazar fez uma boa largada, mas acabou perdendo posição para o espanhol Carlos Campano que fez uma excelente prova e também garantiu o topo do pódio.

Restam apenas mais duas etapas para a final do Campeonato Brasileiro de Motocross. A próxima parada será dia 21 de outubro também em Goiás no município de Caldas Novas. O campeonato tem o patrocínio oficial da Honda, Rinaldi Pneus, Erbs, Yamaha, IMS e apoio da Uniart Troféus.

Confira os resultados das provas deste domingo:

 50 cc

1° Gustavo Mauricio M. Torres

2° Matheus Henrique Mendes Oliveira

3° Caio Eto Tiburcio

4° Luiz Henrique Tapari dos Santos

5° Lucas Pereira Correia da Silva

MX2

1° Fabio dos Santos

2° Pedro Henrique Bueno

3° Lukas Dunka

4° João Pedro Pinho Ribeiro

5° Leonardo de Souza

MX2JR

1° Tallys Nathan Silva Brito

2° Joaquim Antonio Neto

3° Renan Goto

4° Vanderlei de Souza Junior

5° João Vitor Pereira Xavier

65 cc

1° Rafael Becker

2° Bernardo Eto Tiburcio

3° Gustavo Rodrigues

4° Garmichel Rodrigues

5° Vitor Hugo

MX1

1° Carlos Campano

2° Jetro Salazar

3° Humberto Martin

4° Paulo Alberto

5° Hector Assunçao

MXJR

1° Gabriel Bohrer Andrigo

2° Rafael Ribeiro de Araújo

3° José Antonio Pedro Filho

4° Luiz Filipi Vale da Rocha

5° Gabriel Vinicius dos Santos

MX Elite

1° Carlos Campano Jimenez

2° Jetro Salazar

3° Humberto Martin

4° Eduardo Ferreira Lima

5° Fabio dos Santos

Colaboração: Assessoria de Comunicação CBM/Tiago Lopes/SHow Radical 

O Campeonato Brasileiro de Velocross terá sua quinta e penúltima etapa realizada nos dias 29 e 30 de setembro, na cidade de Campina Grande do Sul (PR). A disputa também será válida pela abertura do Sul-Brasileiro e sexta rodada do Paranaense, logo, a expectativa é de gates cheios e muita emoção para o público.

As inscrições antecipadas já estão abertas e devem ser feitas através da Agenda Off Road, pelo investimento de R$ 100. Para garantir a sua, basta clicar no link e seguir as instruções: https://agendaoffroad.com.br/6-etapa-campeonato-paranaense-de-velocross-.... Na hora, o valor será R$ 150.

O evento acontece no Pesk Pague Crozetta, em uma das melhores pistas do estado. O traçado de 1.400 metros de extensão é largo e conta com diversos pontos de ultrapassagem. Praça de alimentação, área de camping, churrasqueiras, bosque e piscina fazem parte de uma completa infraestrutura disponível para todos.

No sábado, os competidores entrarão em ação, a partir das 10h, para os treinos livres, e depois, às 15h50, para as primeiras provas. No domingo, às 8h, acontecem os treinos cronometrados e, às 11h50, o restante das corridas. O ingresso custa apenas R$ 13 e pode ser adquirido no local.

Serviço: Campeonato Brasileiro, Sul-Brasileiro e Paranaense de Velocross

Etapas: 5/1/6
Data: 29 e 30 de setembro
Local: Pesk Pague Crozetta – Campina Grande do Sul (PR)
Inscrição: R$ 100 antecipada (https://agendaoffroad.com.br/6-etapa-campeonato-paranaense-de-velocross-...) / R$ 150 no local
Ingresso: R$ 13 na portaria

Colaboração e foto: ID – Assessoria de Comunicação Estratégica/Rafael Schwartz/Velocross News

Pilotos Rígor Rico e Ripi Galileu elogiam a prova e se dizem impressionados com o nível das trilhas e dos pilotos que competiram com eles na categoria Master.

 

Não é por sorte que o Independência é considerado por muitos o maior enduro de regularidade do país: ele é forte. Foram 4 dias de prova, mais de 600km de trilhas, um grupo enorme de Staff´s e uma organização impecável pra que ele acontecesse com tanto sucesso. Largando em Lavras e chegando em Itajubá, no Sul de Minas, depois de passar por 11 municípios, Rígor Rico e Ripi Galileu não pouparam elogios àquela que consideram a categoria mais complexa do enduro.

As médias na categoria Master são altas, é preciso ser rápido. Mas ser rápido é um desafio quando ao mesmo tempo é preciso navegar, estar atento aos tempos, referências e odômetro na planilha. Tarefa ainda mais complicada se você usa o road book mais roots, com a planilha impressa. Realmente não é fácil.

Com uma experiência quase nula em relação ao uso desses equipamentos, os irmãos da Beta queriam mesmo é se desafiar fora da modalidade que lhes é mais afinada, o Hard Enduro. Eles sabiam, com naturalidade, que teriam dificuldades no EI 2018 correndo em sua categoria principal, mesmo sendo campeões na Duplas Graduados de 2017. Mas fato é que eles voltaram com a mochila cheia de experiências.

“_É inacreditável o quanto de prática é preciso pra andar rápido navegando. Uma piscada naquele movimento ‘cara, crachá’, que é olhar a planilha, pegar a referência, levantar o rosto e identificar aquela referência na paisagem, e pronto, você errou. Ou se perdeu” disse Ripi Galileu.

E não tem perdão: cada erro custa caro numa prova em que quem vence é o mais regular. A constância de andar sempre dentro da velocidade média da planilha é que te dá a vitória. Com pouco tarimbo era quase certo que se perder e errar seria só questão de tempo, coisa que inclusive foi levada de forma leve por Rígor em vídeos postados nas redes sociais. Várias vezes ele se riu das “perdidinhas básicas” diárias nos Stories do Instagram.

Para bem além disso, o nível da categoria estava altíssimo, com nomes de peso como Jomar Grecco (que acabou sagrando-se campeão pela 5ª vez, feito histórico), Tuníco Maciel (atual campeão do Rally dos Sertões) e outras feras bravas do Regularidade como o Vinicius “Galego” e Emerson “Bombadinho”. Sem dúvidas ir para o embate com esses caras é desafiador e valoriza o EI.

“_Pra mim é uma honra estar na mesma prova que eles. Tuníco é um exemplo, acabou de vencer o Sertões. Jomar, uma lenda, agora 5 vezes campeão. Claro que vim com a intenção de dar meu melhor, ou não sairia de casa, mas acho que a posição que consegui, tendo em vista minha pouca prática em Regularidade e o nível dos pilotos, foi justo. Me desafiei, superei e estou feliz” conta Rígor.

A prova acabou, mas fica a lembrança e o aprendizado. Muito respeito por aqueles que fazem dessa prova um verdadeiro espetáculo. A equipe agora se prepara para o Vita Racing Hard Enduro, em Araguaína, Tocantins, que promete ser um hard puro sangue. Vamos torcer!

A Equipe Beta Brasil 3R tem patrocínio da Beta Motors Brasil, 3R Motos, Rinaldi, BMS, Mobil, Pacalub, BC Pneus, Motoarts, Calango, Toro, Ride 100%, Durag e Rebello Fitness.

colaboração e foto: 

 

A piloto do Team Rinaldi, Bárbara Neves, foi o grande destaque da edição 2018 do Enduro da Independência, ao ser a única mulher a completar o desafio, garantindo o título da categoria Feminina. O evento contou com 254 competidores, quatro dias de disputas e cerca de 600 quilômetros de percurso, entre as cidades de Lavras e Itajubá, em Minas Gerais.

E esta não foi apenas sua estreia na competição, mas também a primeira vez que participou de uma prova de regularidade. “O Enduro da Independência é muito tradicional no cenário off road, cresci vendo meu pai participar e estou muito feliz por ter a oportunidade de encará-lo e ainda vencê-lo”, destaca a atual campeã Goiana de Cross-Country e Brasileira de Enduro FIM. 

A organização explorou trilhas de alto nível técnico pela região Sul de Minas Gerais e da Serra da Mantiqueira, sendo o evento considerado um dos mais desafiadores em 36 anos de história. Os participantes enfrentaram muitas pedras, pontos acidentados, terrenos lisos, subidas e descidas íngremes, tudo isso em meio a um cenário deslumbrante.

O Team Rinaldi contou ainda com Emerson “Bombadinho” Loth, Rigor Rico e Ripi Galileu, na Master. Bomba, considerado um dos favoritos ao título da categoria principal, abandonou no terceiro dia, após cair e machucar o cotovelo. Rigor e Ripi, que, assim como Bárbara, são destaques no Enduro FIM e Hard Enduro, encontraram dificuldades com a navegação e encerraram em sexto e sétimo lugares, respectivamente.

Bárbara, Bombadinho, Rigor e Ripi utilizaram os pneus HE 40 da Rinaldi, marca que também patrocinou o Enduro da Independência 2018. Para Bárbara, o modelo foi essencial em sua conquista. “A prova envolve diversos tipos de terreno, precisávamos de um pneu que oferecesse tração e segurança em qualquer situação e ele nos garantiu tudo isso”, destaca.

Colaboração e foto: ID – Assessoria de Comunicação Estratégica/Leo Tavares/CF