Largando em 14º, o piloto nove vezes campeão mundial faz uma brilhante corrida de recuperação, ultrapassando oito oponentes e chegando em 6º lugar.

 O resultado da classificação para a etapa austríaca da MotoGP, um 14º lugar, a princípio poderia minar os ânimo de Valentino Rossi, mas o que se viu no GP disputado no dia 12 de agosto, foi uma incrível corrida de recuperação do nove vezes campeão mundial.

Apesar de inúmeras dificuldades ao longo do fim de semana, Rossi cruzou a linha de chegada na honrosa 6ª colocação, equanto que seu companheiro de equipe Maverick Viñales, que largou em 11º, chegou em 12º lugar.

Rossi fez uma largada cautelosa, atento às movimentações dos outros pilotos que seguiam a sua frente. Mesmo assim ele completou a primeira volta em 11º lugar. No início da quarta volta, o italiano assumiu a 10ª colocação e duas voltas depois já era o 9º, a frente de Johann Zarco.

A batalha pelo 8º lugar com Aleix Espargeró exigiu mais esforço do lendário piloto da Yamaha, que após ultrapassá-lo, teve pela frente uma grande lacuna até Tito Rabat. Dez voltas depois, Rossi tirou a diferença, conseguiu a posição e garantiu o sétimo lugar.

Não satisfeito, Valentino Rossi continuou a forçar o ritmo em busca de Álex Rins, que seguia 2,5 s a sua frente. Quatro voltas depois, o piloto da Yamaha conquistava o 6º lugar.

 A aproximação junto a Danilo Petrucci aconteceu, mas não a tempo de Rossi tentar um bote. Com isso, o italiano cruzou a linha de chegada em 6º lugar.

Viñales chegou ao GP da Ástria determinado a evitar o ocorrido na etapa anterior, quando sofreu uma queda na primeira volta. Sendo assim, o piloto da Yamaha começou a prova de forma comedida, o que lhe custou cinco posições, caindo para de 11º apara 16º lugar.

Gradualmente Viñales foi aumentando seu ritmo e recuperando posições até chegar em seu compatriota Aleix Espargaró. Ele bem que tentou ultrapssá-lo, mas em função do pneu traseiro deteriorado, não foi além do 12º lugar.

Com o resultado da etapa na Austria, Rossi permanece na segunda posição na classificação do campeonato, com 59 pontos para o primeiro, e 29 pontos à frente do companheiro de equipe Viñales, que agora está na quinta posição.

A Yamaha detém o terceiro lugar no Campeonato de Construtores depois da corrida em Spielberg, na Austria, com uma margem de 53 pontos para o primeiro, enquanto a Equipe Movistar Yamaha de MotoGP está agora na terceira posição da tabela, com uma diferença de 12 pontos da segunda colocada.

A equipe Movistar Yamaha MotoGP estará de volta à ação entre os dias 24 a 26 de Agosto, quando acontecerá o GP da Grã-Bretanha, disputado no Circuito de Silverstone.

colaboração e foto: Yamaha do Brasil

Maior fabricante de motocicletas do mundo, a Honda patrocina o Rally dos Sertões pelo sétimo ano consecutivo. A 26ª edição do principal evento off-road brasileiro será realizada de 18 a 25 de agosto, com largada em Goiânia (GO) e chegada em Fortaleza (CE). Pronta para defender a hegemonia entre as motocicletas, a Honda planejou uma série de ativações com o objetivo de marcar presença nas trilhas e nos bastidores da prova.

O Rally dos Sertões inclui 3.601 quilômetros de desafios por quatro estados brasileiros: Goiás, Bahia, Piauí e Ceará. A Honda utilizará a maior plataforma off-road do país para se aproximar ainda mais do público, dos consumidores e dos fãs da marca.

Dentro do programa de relacionamento REDRIDER, acontecerão viagens guiadas para a largada, em Goiânia, com grupos de clientes do Centro-oeste e Sudeste, e para a chegada, em Fortaleza, com grupos do Nordeste. Outra ação especialmente criada para proprietários da bigtrail CRF 1000L Africa Twin será o acompanhamento das nove etapas do Rally dos Sertões. Com um roteiro desenvolvido pela equipe do piloto sete vezes campeão da prova, Jean Azevedo, um grupo de 15 clientes e concessionários passará por todas as cidades da competição, sentindo o clima do rally.

Também estão programadas exposições e test drives com motocicletas e ações envolvendo a rede de concessionárias e jornalistas especializados.

“O Rally dos Sertões tem a motocicleta no DNA. Começou como uma prova para motos e ganhou muita expressão em todos esses anos de história. A Honda tem como filosofias o desenvolvimento de altas tecnologias para o setor de duas rodas e o forte apoio ao esporte, o que inclui o motociclismo off-road. Então, a parceria traz benefícios a todos os envolvidos”, comentou Marcos Paulo Monteiro, gerente geral Comercial e Marketing da Moto Honda.

“Enxergamos o Rally dos Sertões como uma ótima oportunidade para mostrar na prática a qualidade dos produtos desenvolvidos pela Honda e de proporcionar experiências únicas aos clientes, concessionários e profissionais da imprensa. As expectativas são ótimas”, continuou. 

A base da largada do Rally dos Sertões será o Autódromo Internacional de Goiânia, onde o público poderá conferir a apresentação de manobras radicais com motocicletas e quadriciclos do grupo Força & Ação - outra iniciativa da Honda. O show está marcado para o dia 18 de agosto, das 17h30 às 18h30, com entrada franca.

Roque Mendes, diretor comercial da Dunas Race, empresa organizadora do Rally dos Sertões, destacou que a prova também irá gerar muito conteúdo para as mídias sociais. "Todas as ações da Honda serão registradas e amplamente divulgadas pelas redes sociais da empresa, impactando ainda mais pessoas em todo o país que não poderão estar presentes em Goiânia ou na prova", concluiu.

Honda Racing - Campeã das motocicletas nas últimas três edições do Rally dos Sertões, a Honda Racing acelera para ampliar a hegemonia. A equipe conta com o heptacampeão Jean Azevedo, o maior detentor de títulos do Sertões em uma mesma categoria, e o vencedor de 2016 Gregório Caselani na classe Super Production. A dupla utilizará a moto Honda CRF 450RX.

Tunico Maciel, com a mesma motocicleta, acelera pela Production Aberta. Para completar, o piloto Júlio Zavatti, o Bissinho, três vezes campeão da classe Brasil - CRF230cc, está de olho em mais uma vitória na divisão exclusiva para o modelo nacional assinado pela Honda. Dário Júlio é o chefe da equipe Honda Racing.

Categoria Brasil-CRF230cc - A categoria Brasil-CRF230cc foi criada em 2015 para pilotos que competem com a motocicleta nacional da Honda. A classe é uma porta de entrada para os pilotos no Rally dos Sertões e o número de inscritos cresce a cada ano, por conta do baixo investimento de preparação e manutenção.

A Honda CRF 230F mostrou a sua qualidade nas últimas edições do Rally dos Sertões, sendo destaque diante dos modelos importados. Com o piloto Bissinho, a moto alcançou o quarto lugar da classificação geral, depois de ficar em sexto nas disputas de 2016 e em nono em 2015.

Colaboração e foto: Mundo Press/Fábio Davini

Principal desafio do calendário off-road nacional, o Rally dos Sertões terá início no dia 18 de agosto, em Goiânia (GO), com a equipe Honda Racing em busca do quarto título seguido entre as motocicletas. A 26ª edição do evento termina em Fortaleza (CE) no dia 25 de agosto e pode consagrar Jean Azevedo como o maior vencedor da história da prova. Atual campeão, o paulista busca o oitavo título na categoria motos.

A equipe vermelha entra com força máxima nas disputas e também conta com os pilotos Gregorio Caselani, Tunico Maciel e Júlio “Bissinho” Zavatti. O roteiro da prova inclui mais de 3.601 quilômetros de desafios, 2.059 deles de trechos cronometrados (especiais), e também passa pelos Estados da Bahia e do Piauí.

Azevedo possui sete taças e já é recordista de títulos entre as motos. O objetivo agora é obter mais uma marca histórica na prova, considerada um dos principais ralis do mundo. Uma vitória da Honda Racing também significa o quarto título seguido da equipe entre as motos, já que o paulista faturou o título em 2015 e 2017 e Caselani, do Rio Grande do Sul, venceu em 2016. A dupla acelera pela categoria Super Production.

"O Rally dos Sertões é a principal prova do meu calendário, eu trabalho o ano todo pensando nesse desafio”, afirmou Azevedo, que irá acelerar a motocicleta Honda CRF 450RX na busca por mais uma vitória na competição.

"O meu foco, independente da possibilidade de me tornar o maior campeão da história do Sertões, é fazer o melhor na prova e lutar pelo título”, continuou. “Eu não encaro isso como uma pressão a mais, mas é claro que se eu conseguir essa proeza vou ficar muito contente."

Azevedo se diz preparado para o início da competição. “Eu intensifiquei meus treinamentos com a moto nas últimas semanas. Fui para a Serra da Canastra, andar nas pedras, e também treinei na areia. Na questão da preparação física, estou no meu pico agora, na melhor fase possível”, garantiu.

Gregorio Caselani é o atual líder da categoria Super Production e da classificação geral do Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country, que realiza as cinco últimas etapas da temporada no Rally dos Sertões. Além de manter a ponta na competição nacional, o gaúcho está de olho no bicampeonato das motos no Sertões.

“Como estou liderando o Brasileiro, vou em busca das duas coisas: a vitória no Rally dos Sertões e a manutenção da liderança no campeonato nacional. Não quero abrir mão de nenhuma destas conquistas”, disse Caselani. “Estou empolgado para a disputa do Sertões. Venho me preparando bem, a moto também está bem acertada. Então acho que tenho tudo para conseguir um ótimo desempenho”, completou.

Na classe Production Aberta, a aposta da equipe Honda Racing é o piloto mineiro Tunico Maciel com a moto Honda CRF 450RX. O mineiro é o líder dessa categoria no Brasileiro de Rally Cross Country.

“Eu me preparei muito para esta prova, tanto na parte física quanto na questão psicológica, já que é um desafio de sete dias que requer muita concentração”, explicou. “Estou muito focado e confiante em fazer um bom Sertões. Quero chegar lá, fazer uma prova boa e subir no ponto mais alto do pódio em minha categoria e, quem sabe, na geral também.”

Desde quando foi criada, em 2015, a categoria Brasil - CRF 230cc é dominada pelo paulista Júlio “Bissinho”. Ele quer faturar o quarto título consecutivo na classe exclusiva para os pilotos que competem com o modelo nacional assinado pela Honda. Outro objetivo é ter destaque na classificação geral - como fez no ano passado, quando cravou a quarta posição entre as motocicletas importadas. 

“A minha expectativa é a melhor possível, ainda mais porque eu venho correndo a temporada toda. É o primeiro ano que eu participo do Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country de forma integral. Eu me sinto 100% bem preparado desde o começo da temporada”, afirmou o piloto paulista. 

Bissinho venceu todas as nove etapas da competição nacional em 2018 pela categoria para motos nacionais. “Isso ajuda muito, principalmente na navegação e na preparação física, porque atingi um ritmo de competição que é totalmente diferente do que se eu tivesse me preparado para fazer apenas uma prova”, completou.

A equipe Honda Racing de Rally conta com o patrocínio da Honda, Michelin, Mobil, D.I.D correntes, Edgers, BRC, Race Tech e Alex Design.

Roteiro do Rally dos Sertões 2018:

1ª Etapa - Domingo (19/08)
Goiânia (GO) - Formosa (GO)
Deslocamento Inicial - 245 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 315 km
Deslocamento Final - 126 km
Total do dia: 686 km

2ª Etapa - Segunda-feira (20/08)
Formosa (GO) - Posse (GO)
Deslocamento Inicial - 29 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 307 km
Deslocamento Final - 47 km
Total do dia: 383 km

3ª Etapa - Terça-feira (21/08)
Posse (GO) - Luís Eduardo Magalhães (BA)
Deslocamento Inicial - 24 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 255 km
Deslocamento Final - 71 km
Total do dia: 350 km

4ª Etapa - Quarta-feira (22/08)
Luís Eduardo Magalhães (BA) - Barra (BA) - ETAPA MARATONA
Deslocamento Inicial - 123km
Trecho Especial (Cronometrado) - 355 km
Deslocamento Final – 0 km
Total do dia: 478 km

5ª Etapa - Quinta-feira (23/08)
Barra (BA) - São Raimundo Nonato (PI)
Deslocamento Inicial - 0 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 401 km
Deslocamento Final - 45km
Total do dia: 446 km

6ª Etapa - Sexta-feira (24/08)
São Raimundo Nonato (PI) - Juazeiro do Norte (CE)
Deslocamento Inicial - 39 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 226 km
Deslocamento Final - 337 km
Total do dia: 602 km

7ª Etapa - Sábado (25/08)
Juazeiro do Norte (CE) - Fortaleza (CE)
Deslocamento Inicial - 168 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 200 km
Deslocamento Final - 288 km
Total do dia: 656 km

TOTAL DA PROVA: 3.601 km
TOTAL DE ESPECIAIS: 2.059 km

Colaboração e foto: 

As fabricantes de motocicletas produziram 96.277 unidades em julho, o que representa um avanço de 34,7% sobre o mesmo período do ano passado (71.482 unidades). Na comparação com junho (50.118 unidades), o aumento é ainda mais expressivo: 92,1%. Já no acumulado dos sete meses, saíram das linhas de produção 590.961 motos, alta de 19,3% sobre o mesmo período do ano passado (495.232 unidades).

Para Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo – Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, fatores como a ampliação da oferta de crédito e maior participação do consórcio estão sendo fundamentais para bons resultados. Com isso, a Abraciclo revisou recentemente para cima a projeção em relação ao volume de produção esperado para este ano, passando de 935 mil para 980 mil unidades, o que significa um crescimento de 11% em 2018, na comparação com o ano passado. Pela previsão inicial a produção cresceria 5,9%.

Na análise de vendas para o atacado – motocicletas destinadas às concessionárias – foi verificado um aumento de 36,9% em julho (88.773) na comparação com o mesmo mês do ano passado (64.830 unidades). Em relação a junho (50.833 unidades) a alta foi de 74,6%. Já no acumulado de janeiro a julho, foram vendidas 540.084 unidades, correspondendo a um aumento de 15,6% sobre igual período de 2017 (467.143 unidades).

Entre as categorias mais comercializadas em julho, os destaques foram a Street, que aparece no topo do ranking com 51,2% de participação (45.482 unidades), a Trail, com 19,8% (17.548), e a Motoneta, com 15,3% (13.571). Na sequência, vieram Scooter, com 7,2% (6.419), e Naked, com 2,2% (1.927 unidades).

Confira a seguir as características básicas das motocicletas de cada categoria:

Street – Motocicleta de baixa ou média cilindrada destinada ao uso urbano.

Trail – Motocicleta de baixa ou média cilindrada destinada ao uso misto, tanto em vias pavimentadas quanto em terreno não pavimentado.

Motoneta – motociclo tipo underbone, pilotado com o condutor na posição sentado, destinado ao uso urbano, de baixa cilindrada e dotado de câmbio automático ou semiautomático.

Scooter - Motociclo pilotado com o condutor na posição sentado e dotado de câmbio automático ou semiautomático, concebido para privilegiar o conforto.

Naked – Motocicleta sem carenagem, com motor propositalmente exposto e de alto desempenho, concebida para a utilização em terrenos pavimentados. Semelhante a uma motocicleta versão “sport”, sem a carenagem.

Big Trail – Motocicleta de média ou alta cilindrada destinada ao uso misto em terrenos pavimentados e não pavimentados.

Off Road – Motocicleta de qualquer cilindrada destinada exclusivamente à utilização em pisos não pavimentados.

CustomMotocicleta caracterizada por sua vocação para percursos de estrada, destacadamente os mais longos, chamadas de “estradeiras”, que não priorizam velocidade e, sim, conforto.

Sport Motocicletas de cilindradas médias ou superiores com carenagem que privilegia a aerodinâmica e o alto desempenho.

CiclomotorVeículo de duas ou três rodas, provido de um motor de combustão interna, cuja cilindrada não exceda a 50 cm³.

TouringMotocicletas usualmente de alta cilindrada concebidas para a utilização em turismo e viagens de grandes distâncias. 

 

Emplacamentos

Com base nos dados do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), as vendas no varejo totalizaram 76.226 unidades em julho, representando uma alta de 8,4% sobre o mesmo mês de 2017 (70.320 unidades). Na comparação com junho (74.069 unidades) o crescimento foi de 2,9%. Já no acumulado dos sete meses as vendas no varejo cresceram 7,1%, sendo 532.955 neste ano e 497.518 unidades no ano passado.

A média diária de vendas em julho ficou em 3.465 unidades, com 22 dias úteis, correspondendo a uma alta de 3,5% sobre o mesmo mês do ano passado (3.349 unidades), que teve 21 dias úteis. Na comparação com junho houve recuo de 1,8% (3.527 unidades).

 

Exportações

Em julho foram enviadas para outros países 5.229 motocicletas fabricadas no Brasil, o que representa recuo de 37,6% sobre o mesmo mês do ano passado (8.380 unidades). Na comparação com junho (4.404 unidades) houve alta de 18,7%. Com relação ao desempenho no acumulado dos sete meses, foram exportadas 46.259 motocicletas, aumento de 13,4% sobre as 40.797 unidades registradas no mesmo período do ano passado. Os principais destinos neste período foram, pela ordem, a Argentina, Estados Unidos e Colômbia.  

 

Projeções Revisadas

        As projeções revisadas pela Abraciclo para 2018 são as seguintes:

MOTOCICLETAS - PROJEÇÕES 2018 REVISADAS

 

2017

2018

Quantidade

Variação %

Produção

882.876

980.000

97.124

11,0

Atacado

814.573

900.000

85.427

10,5

Varejo

851.013

915.000

63.987

7,5

Exportação

81.789

80.000

1.789

-2,2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Colaboração: Abraciclo / Associadas

Depois de conquistarem os títulos de campeões brasileiros há duas semanas, os pilotos Fábio Amaral e Jomar Grecco garantiram no último sábado (4) e domingo (5), na região de Juiz de Fora/MG, mais dois importantes resultados para a Yamaha O2BH América Racing. Fábio venceu a 29ª edição do Ibitipoca Off Road e garantiu pela terceira vez o Campeonato Mineiro de Regularidade na Categoria Brasil. Jomar, que já venceu quatro vezes o Ibitipoca, foi o vice-campeão do evento na Categoria Máster.

A prova é conhecida como uma das mais difíceis do Brasil e teve recorde de inscritos chegando a 500 participantes. Foram de cerca de 400 quilômetros de muitas trilhas, dificultadas pelas chuvas que caíram na região. O resultado foi o mesmo de toda a temporada e Fábio Amaral confirmou a excelente fase. Ele venceu todas as etapas que disputou este ano com uma motocicleta Yamaha TT-R 230.

“A competição estava boa demais, mesmo com uma dificuldade maior por causa da chuva. Acabei pegando um pouco de trânsito, com alguns pilotos mais lentos à minha frente. A escolha do pneu fez muita diferença, optamos por usar o Kenda Trackmaster devido a lama e assim venci as duas etapas do sábado. No domingo essa confiança no pneu fez muita diferença, em alguns trechos eu escolhi caminhos alternativos para ultrapassar, tive um problema no equipamento de navegação e acabei perdendo, mas no neutro consegui arrumar e venci a etapa da tarde. A moto esteve perfeita nos dois dias, foi muito importante, afinal a prova foi bem exigente, desgastante e longa”, explicou o novo Campeão do Ibitipoca Off Road.

Disputando a categoria Máster, o tetracampeão do Ibitipoca Off Road, Jomar Grecco, conquistou o segundo lugar na prova após intensa batalha com o paranaense Emerson Loth. Com quatro etapas nos dois dias de disputas, a diferença que o separou do degrau mais alto do pódio foi de apenas dois pontos, muito pouco se tratando de Regularidade.

“A prova foi top demais, muitas trilhas, roteiro sensacional, sem repetir trajeto. A região aqui é o paraíso do off road. Fiquei impressionado com a quantidade de trilhas. Foi muito técnica, muito roteiro e navegação, mas a planilha estava perfeita, sem gerar nenhuma dúvida. Com a grande quantidade de chuva que caiu durante a semana, a organização teve que cortar um pequeno trecho no sábado, mas não comprometeu em nada as disputas. E mesmo com as chuvas, não atrapalhou em nada no domingo. Foi sensacional, a estrutura, a organização, o evento, tudo impecável. Se Deus quiser em 2019 estaremos lá para tentar a conquista do pentacampeonato”, explicou Grecco.

O próximo desafio dos pilotos é o Enduro da Independência. Fábio Amaral busca o bicampeonato na Categoria Brasil e Jomar Grecco vai buscar o pentacampeonato. Ele quer se tornar o maior vencedor da prova na categoria principal. O Independência será realizado entre os dias 4 a 7 de setembro no sul de Minas Gerais.

A Equipe Yamaha O2BH América Racing tem patrocínio da Kenda Pneus, ASW, Yamalube, BR Parts, Dragon, Gaerne, Circuit, W-Tech, Stick´s, Durag, Solo, Exceed, MrPro, Academia do PIC e Alex Design. É uma equipe de competição do Grupo Orange, líder em vendas no Brasil com as bandeiras KTM, Yamaha e Kawasaki. Possui uma loja com mais de 4.000 itens em acessórios e equipamentos para prática motociclista on e off Road, uso urbano e recreativo. Motos novas, seminovas e consórcio.

Colaboração e foto: O2Bh Yamaha/Janjão Santiago

A Yamaha do Brasil larga na frente mais uma vez ao iniciar no dia 4 de agosto, a distribuição dos modelos 2019 das motocicletas de competição YZ250F e YZ450F.

O lançamento simultâneo com a Europa e Estados Unidos aconteceu, no Brasil, para o seleto público bLU cRU - pilotos privados que competem com moto Yamaha - em evento realizado no box da equipe Yamaha Monster Energy Geração, em Extrema, Minas Gerais, durante a quinta etapa do Brasileiro de Motocross 2018.

Os pilotos bLU cRU foram recepcionados com coquetel e apresentação técnica das motos, e tiveram a oportunidade de ver de perto os detalhes dos novos modelos que chegam ao mercado nacional com preço sugerido de R$ 48.990,00 para a YZ250F, e R$ 52.050,00 para a YZ450F (valores sem frete).

As motos poderão ser adquiridas nas concessionárias Racing Blue – exclusivas na comercialização da linha YZ e WR – que iniciam a comercialização das YZ450F a partir de 4 de agosto, e as YZ250F a partir da segunda quinzena de agosto.

colaboração e foto: Yamaha do Brasil

Como previu Valentino Rossi, o Grande Prêmio da República Checa foi desafiador e difícil. Mesmo assim, o piloto nove vezes campeão mundial conquistou importantes pontos ao cruzar a linha de chegada na quarta colocação, mantendo vivas suas chances no campeonato 2018.

Rossi, que havia conquistado o segundo lugar no grid, fez uma largada brilhante e assumiu a liderança da corrida já na primeira curva. Nas voltas iniciais, ele e seu compatriota Andrea Dovizioso brigaram pela ponta várias vezes, enquanto Marc Marquez e Jorge Lorenzo os seguiam de perto. Rossi chegou a se manter em primeiro, mas na 17ª volta, sofreu várias ultrapassagens e caiu para o quinto lugar.

Determinado, Rossi tratou de se recuperar e na última chicane da última volta, recuperou o quarto lugar, terminando a prova a 2.902s do primeiro.

Já para Maverick Viñales o GP da República Checa não foi nada animador. Largando em 12º no grid, o piloto da Yamaha foi envolvido em um acidente já na primeira volta, tirando-o as chances de recuperação.

A boa notícia em meio ao resultado negativo, é que Viñales não sofreu lesões graves, garantindo assim a sua participação no próximo GP, a ser disputado no dia 12 de agosta na Áustria.

O quarto lugar obtido no GP da República Checa fez de Valentino Rossi o primeiro piloto a conquistar mais de 6000 pontos nos campeonatos mundiais em todas as categorias. Rossi também se mantém em segundo lugar na classificação do campeonato a 49 pontos do líder e 23 pontos à frente do companheiro de equipe Viñales, que agora ocupa a quarta posição.

 

Após o GP disputado no Circuito de Brno, a Yamaha segue em terceiro lugar no Campeonato de Construtores com uma margem de 43 pontos para o primeiro, enquanto a Movistar Yamaha MotoGP permanece na primeira posição na classificação entre as equipes, com uma diferença de 3 pontos para a segunda colocada.

Colaboração e foto: Yamah do Brasil

Os pilotos da equipe Honda Racing foram ao pódio na sexta etapa do Campeonato Brasileiro de Enduro FIM, disputada neste final de semana (4 e 5 de agosto), em Farroupilha, no Rio Grande do Sul. O mineiro Júlio Ferreira foi o terceiro na classe E2, mesma colocação obtida pelo carioca Nicolás Rodriguez na E1. Pela Enduro GP, categoria que reúne os mais rápidos da competição, Ferreira ficou em quinto - já Rodriguez foi o sétimo colocado.

O Enduro da Curva Reta, cuja base foi no estacionamento auxiliar do Santuário de Caravaggio, um dos um dos principais pontos turísticos da Serra Gaúcha, teve a chuva e o frio como fatores extras de dificuldade para os competidores. As trilhas trouxeram ainda mais desafios com a chuva por conta das raízes e pedras aparentes, canaletas e o piso escorregadio.

“As especiais foram mudando com a chuva de sábado e, neste domingo, havia muitas canaletas nas trilhas. Quando a chuva parou, veio o frio. Foi uma prova bem difícil”, afirmou Júlio Ferreira, que acelera a motocicleta Honda CRF 450RX e ocupa a vice-liderança da categoria E2. “Agora vamos treinar mais, focar mais e ir com tudo para Patos de Minas (MG), na final da competição, para tentar chegar lá mais forte.”

Nicolás Rodriguez, segundo colocado na tabela de classificação da E1, também avaliou como dura a prova deste final de semana. “Mesmo com as dificuldades, consegui um resultado satisfatório”, afirmou o carioca. Ele utiliza a Honda CRF 250R. “Para última etapa, eu vou com força total. Minas Gerais é um lugar bacana de andar, lá não tem essa característica de chão molhado, o que eu prefiro para competir”, declarou.

Gabriel “Tomate” Soares, piloto que completa o time de Enduro FIM da Honda Racing, se recupera de uma fratura na mão direita e não correu neste final de semana.

Outros resultados - Tiago Wernersbach, da equipe Honda Moto Litoral, venceu a prova na E4 e segue na liderança da categoria. Diogo Andrade, do mesmo escrete, foi o quinto na Over 35 neste final de semana e ocupa a segunda posição da tabela.

A sétima e última etapa do Brasileiro será realizada nos dias 29 e 30 de setembro, Patos de Minas (MG). A equipe Honda Racing de Enduro FIM conta com o patrocínio da Honda, D.I.D correntes e Mobil.

Resultados da 6ª etapa - Farroupilha (RS)

Categoria Enduro GP 
1 - Bruno Crivilin 
2 - Gustavo Pellin
3 - Vinícius Calafati
4 - Patrick Capila
5 - Júlio Ferreira - Honda CRF 450RX 
9 - Nicolás Rodriguez - Honda CRF 250R

E1
1 - Bruno Crivilin 
2 - Diego Colett
3 - Nicolás Rodriguez - Honda CRF 250R
4 - Willian Palandi
5 - Mauro Brazaca Júnior

E2
1 - Gustavo Pellin
2 - Vinicius Calafati 
3 - Júlio Ferreira - Honda CRF 450RX
4 - Eduardo Nazari
5 - Juliano Paoli

E3
1 - Rômulo Bottrel
2 - Felipe Legarrea 
3 - Felipe Carlette (Honda Moto Litoral) - Honda 450R

E4
1 - Tiago Wernersbach (Honda Moto Litoral) - Honda CRF 230F

2 - Anderson da Luz
3 - Ronald Santi
4 - Fernando Pereira (Honda Motofield) - Honda CRF 230F
5 - Matheus Varaschini

Júnior
1 - Patrick Capila
2 - Willian Lauers 
3 - Martin Trombini
4 - Vinícius da Silva
5 - Vinícius Abreu (Honda Moto Litoral) - Honda CRF 250R

Over 35
1 - Michel Cechet
2 - Anderson Vieira 
3 - Pablo Zanchet
4 - Nielsen Bueno
5 - Diogo Resende (Honda Moto Litoral) - Honda CRF 250R

Classificação do Campeonato Brasileiro de Enduro FIM após seis etapas

Enduro GP 
1 - Bruno Crivilin - 292 pontos
2 - Vinícius Calafati - 222 pontos
3 - Júlio Ferreira - Honda CRF 450RX - 217 pontos
4 - Patrik Capila - 199 pontos
5 - Gustavo Pellin - 189 pontos
7 - Nicolás Rodriguez - Honda CRF 250R - 140 pontos

E1 
1 - Bruno Crivilin - 297 pontos
2 - Nicolás Rodriguez - Honda CRF 250R - 246 pontos 
3 - Diego Collet - 152 pontos
4 - Gabriel Soares - Honda CRF 250R - 150 pontos
5 - Willian Palandi - 106 pontos

E2 
1 - Vinícius Calafati - 270 pontos 
2 - Júlio Ferreira - Honda CRF 450RX - 260 pontos
3 - Gustavo Pellin - 242 pontos
4 - Victor Miranda - 174 pontos
5 - Mauricio Rizzon - 153 pontos

E3
1 - Rômulo Bottrel - 291 pontos
2 - Felipe Legarrea - 245 pontos
3 - Felipe Carlette (Honda Moto Litoral) - Honda 450R - 214 pontos 
4 - Rodrigo Corsi - 99 pontos
5 - Lucas Marques - 40 pontos

E4 
1 - Tiago Wernersbach (Honda Motolitoral) - Honda CRF 230F - 282 pontos  
2 - Anderson da Luz - 254 pontos 
3 - Ronald Santi - 218 pontos
4 - Fernando Pereira (Honda Motofield) - Honda CRF 230F - 201 pontos
5 - Marcos Souza - 176 pontos

Júnior 
1 - Patrik Capila - 290 pontos
2 - Willian Lauers - 238 pontos
3 - Vinícius Abreu (Honda Moto Litoral) - Honda CRF 250R - 222 pontos
4 - Washington Pereira - 98 pontos
5 - Vinícius Luis da Silva - 62 pontos

Over 35
1 - Nielsen Bueno - 233 pontos 
2 - Diogo Resende (Honda Moto Litoral) - Honda CRF 250R- 217 pontos 
3 - Anderson Vieira - 177 pontos
4 - Igor Reolon - 136 pontos
5 - Tiago Bellaver - 88 pontos

Colaboração e foto: Mundo Press/Renato Fernandes

A sexta e penúltima etapa do Campeonato Brasileiro de Enduro FIM para motocicletas movimentou a Serra Gaúcha neste final de semana (4 e 5). Marcada por alto nível técnico, a prova teve como base o estacionamento auxiliar do Santuário de Caravaggio, em Farroupilha (RS), e atraiu grande público.

Gustavo Pellin, de Caxias do Sul (RS), conquistou a sua primeira vitória da temporada pela categoria E2. O piloto da KTM Sacramento Racing também confirmou a segunda posição na classe Enduro GP, que reúne os mais rápidos da competição.

“Foi um fim de semana perfeito. Além de correr em casa, perto da família e dos amigos, conquistei ótimo resultados. Ganhei o primeiro dia de disputas, inclusive pela Enduro GP, e estou muito feliz”, contou. “A prova foi bem divertida, com trilhas técnicas e pesadas, raízes e valetas. Aproveitei o fato de estar acostumado com o terreno e o clima frio da minha região”, acrescentou Pellin.

O vencedor da etapa na Enduro GP e na E1, mais uma vez, foi o capixaba Bruno Crivilin. Com o desempenho, o piloto da Orange BH KTM Racing fica ainda mais perto dos títulos nacionais das duas categorias.

Maurício Brandão, diretor de Enduro FIM da Confederação Brasileira de Motociclismo, parabenizou os parceiros locais pela etapa. “O pessoal de Farroupilha se empenhou 100% e fez uma prova maravilhosa. Vale destacar também a receptividade da paróquia do Santuário de Caravaggio, estamos muito felizes com o sucesso do evento.”

Na opinião dele, o nível dos pilotos do Brasileiro demonstra evolução a cada etapa. “A competitividade está forte e todos estão evoluindo juntos. A prova gaúcha teve alto nível técnico, com muitos desafios nas trilhas além do frio - o que valoriza os pilotos mais completos e versáteis”, concluiu Brandão.

Os outros vencedores na Serra Gaúcha foram Rômulo Bottrel (E3 / Yamaha O2 BH Racing), Tiago Wernersbach (E4 / Honda Moto Litoral), Patrik Capila (Júnior / Yamaha O2 BH Racing), Michel Cechet (E35), Erasmo Klering (E40), Orlei Brazaca (E45), Sergio Collet (E50) e Agenor dos Santos (EAmador).

A grande final do Brasileiro de Enduro FIM está marcada para os dias 29 e 30 em Patos de Minas (MG). O campeonato é patrocinado por Rinaldi, Yamaha, ASW, Tech Ride, Edgers, MR Pro Braces, Jeri Aventure Ride, KTM Sacramento, O2BH Yamaha, Motorex e Sig Visual.

Resultados - Campeonato Brasileiro de Enduro FIM 2018

Resultados da 6ª etapa

Enduro GP 

1 - Bruno Crivilin 

2 - Gustavo Pellin 

3 - Vinícius Calafati 

4 - Patrik Capila 

5 - Júlio Ferreira 

 

E1
1 - Bruno Crivilin
2 - Diego Colett
3 - Nicolás Rodriguez
4 - Willian Palandi
5 - Mauro Brazaca Júnior

E2
1 - Gustavo Pellin
2 - Vinícius Calafati
3 - Júlio Ferreira
4 - Eduardo Nazari
5 – Juliano Paoli

E3
1 - Rômulo Bottrel
2 - Felipe Legarrea
3 - Felipe Carlette

E4
1 - Tiago Wernersbach 

2 - Anderson da Luz 

3 - Ronald Santi
4 - Fernando Pereira
5 - Matheus Varaschini 

 

EJúnior
1 - Patrik Capila
2 - Willian Lauers
3 - Martin Trombini
4 -  Vinícius Luis da Silva
5 - Vinícius de Sá

E35
1 - Michel Cechet
2 - Anderson Vieira
3 - Pablo Zanchet
4 - Nielsen Bueno
5 – Diogo Andrade

E40
1 - Erasmo Klering
2 - Fabio Santini
3 - Adriano de Ávila
4 - Sidney Siquela
5 - Fernando Spindler
 

E45
1 - Orlei Brazaca
2 - Rodrigo Cavalini
3 - Pélmio Simões
4 - Maurício Fernandes
5 - Laurindo Zatorski Filho
 

E50
1 - Sergio Collet

EAmador
1 - Agenor dos Santos
2 - Judi Júnior
3 - Luciano Bristot
4 - Felipe Schwantz
5 – Tulio Bortolini

Classificação do Campeonato Brasileiro após seis etapas

Enduro GP
1 - Bruno Crivilin - 292 pontos 

2 - Vinícius Calafati - 222 pontos   

3 - Júlio Ferreira - 217 pontos     
4 - Patrik Capila - 199 pontos 
5 - Gustavo Pellin - 189 pontos


E1 
1 - Bruno Crivilin - 297 pontos   

2 - Nicolás Rodriguez - 246 pontos 
3 - Diego Colett - 152 pontos   
4 - Gabriel Soares - 150 pontos 

5 - Willian Palandi - 106 pontos  

 

E2
1 - Vinícius Calafati - 270 pontos
2 - Júlio Ferreira - 260 pontos 

3 - Gustavo Pellin - 242 pontos 

4 - Victor Miranda - 174 pontos 

5 - Mauricio Rizzon - 153 pontos

 

E3
1 - Rômulo Bottrel - 291 pontos 

2 - Felipe Legarrea - 245 pontos 

3 - Felipe Carlette - 214 pontos 

4 - Rodrigo Corsi - 99 pontos 

5 - Lucas Marques - 40 pontos

 

E4
1 - Tiago Wernersbach - 282 pontos    

2 - Anderson da Luz - 254 pontos   
3 - Ronald Santi - 218 pontos

4 - Fernando Pereira - 201 pontos

5 - Marcos Souza - 176 pontos  



EJúnior
1 - Patrik Capila - 290 pontos 

2 - Willian Lauers - 238 pontos 

3 - Vinícius de Sá - 222 pontos 

4 - Washington Pereira - 98 pontos 

5 - Vinícius Luis da Silva - 62 pontos

 

EFeminina
1 - Maiara Basso - 144 pontos

2 - Bárbara Neves - 134 pontos 

3 - Marcely Cazadini - 106 pontos 

4 - Tainá Aguiar - 76 pontos 

5 - Livia Batistine - 64 pontos

 

E35
1 - Nielsen Bueno - 233 pontos
2 - Diogo Resende - 217 pontos
3 - Anderson Vieira - 177 pontos 

4 - Igor Reolon - 136 pontos

5 - Tiago Bellaver - 88 pontos 

 

E40
1 - Fernando Teixeira de Carvalho - 221 pontos

2 - Adriano de Ávila - 204 pontos

3 - Sidnei Siquela - 141 pontos

4 - Fernando Spindler - 109 pontos
5 - Cassiano Tebaldi - 100 pontos 


E45
1 - Rodrigo Cavalini - 242 pontos
2 - Pélmio Simões - 232 pontos 

3 - Laurindo Filho - 209 pontos
4 - Maurício Fernandes - 209 pontos 

5 - Evandro Bozetti - 88 pontos

 

E50
1 - Marcos Benvenutti - 208 pontos 

2 - Romeu Enrich - 103 pontos 

3 - Milton Coelho - 76 pontos

4 - Levi Tesch - 50 pontos 

5 - Fábio Campos - 50 pontos

 

EAmador
1 - Gabriel Bellaver - 235 pontos 

2 - Agenor dos Santos - 229 pontos 

3 - Roberto Theodoro - 205 pontos
4 - Lucas Colombo - 164 pontos

5 - Uiliam Brunetta - 80 pontos.

Colaboração e foto: Mundo Press/Rogério Leite

Sete pilotos representam equipe no Brasileiro FIM, neste sábado e domingo, em Farroupilha (RS). Emerson Loth, o Bombadinho, disputa 29ª edição do tradicional Ibitipoca Off Road em Minas Gerais

A KTM Sacramento marca presença nas principais competições do enduro nacional neste fim de semana, dias 4 e 5 de agosto. Em Farroupilha (RS), Diego Colett, Maurício Rizzon, Willian Palandi, Cassiano Tebaldi, Anderson Vieira, Vinícius Lopes "Musa" e Gustavo Pellin representam a equipe na sexta e penúltima etapa do Campeonato Brasileiro de Enduro FIM. Já em Juiz de Fora (MG) e região, Emerson Loth, o Bombadinho, corre no 29º Ibitipoca Off Road, um dos mais tradicionais enduros de regularidade do país.

A prova no sul terá sua base no Santuário de Caravaggio, conhecido ponto turístico e religioso na Serra Gaúcha. O percurso será formado por cerca de 42 quilômetros de trilhas, sendo que estão programadas três voltas pelo trajeto em cada um dos dias do evento. Segundo a organização, as especiais serão três: um Cross Teste com 3,5 quilômetros, e dois Enduro Testes, o primeiro com 4,5 km passando por eucaliptos, plantações e ainda mata fechada, enquanto o segundo tem 3,5 km por trilhas que costumam ser bastante úmidas.

Em Minas Gerais, o Ibitipoca Off Road reúne mais de 500 motos com largada às 7h deste sábado, no Bairro Salvaterra, em Juiz de Fora. O pernoite será em Conceição do Ibitipoca, distrito da cidade de Lima Duarte, de onde os pilotos partem no domingo no mesmo horário, retornando para Juiz de Fora. A chegada no segundo dia de prova será na Faculdade Suprema, a partir das 14h30.

A equipe KTM Sacramento é patrocinada por KTM, Dafra, Borilli Racing, Motul, Alpinestars, Bell, 100% e Edgers.

colaboração e foto: Publix/Erik Araujo