Pelo que parece a Yamaha não vai perder tempo e promete grandes investimentos no off road nacional em 2018. Um dos primeiros passos da marca dos Diapasões foi o investimento no setor do fora de estrada começando com a nova parceria com o Grupo Orange/O2BH Yamaha de Belo Horizonte.

A primeira boa notícia foi de Jeomar Grecoo que trocou a cor laranja pela azul da Yamaha a bordo da novíssima WR 250F e a renovação com Fábio Amaral de TTR 230cc que vão correr na modalidade do Enduro de Regularidade. E tudo indica que tem mais novidades vindo por ai.

Tanto que na 15º Edição do Salão Duas Rodas foram anunciadas novidades também para o off road, como a chegada da nova YZ450F 2018 , a XTZ 150 Crosser Z e a XTZ 150 Crosser S. 

A icônica motocicleta de motocross, conhecida pelas dezenas de vitórias e títulos mundo a fora chega para incrementar a linha off-road da Yamaha. Nesta nova geração, as novidades são muitas, a começar pelo novo motor, agora mais potente, leve e com partida elétrica. Nele o sistema de arrefecimento também é novo, garantindo ainda mais eficiência – fundamental na prática do motocross.

Por falar em eficiência, a ciclística da YZ450F que já era boa, ficou melhor com o novo chassi em alumínio e a nova suspensão traseira. A YZ450F também impressiona pela tecnologia. Ela é a primeira motocicleta que pode receber ajustes no gerenciamento do motor – que permite alterar a forma como a potência e torque são entregues – através de um aplicativo para smartphones via wi-fi, o Yamaha Power Tuner.

Resultado de imagem para XTZ 150 Crosser s 2018

Já a XTZ 150 Crosser Z. Além dos conhecidos atributos da Crosser – que agora passa a se chamar Crosser S –, como economia, durabilidade e conforto, a nova versão da trail que vem conquistando cada vez mais o consumidor brasileiro, está mais aventureira e melhor adaptada a incursões no off-road, principalmente em terrenos ruins e com lama. Nela, o para-lama dianteiro é alto, fixado junto a mesa inferior. 

Além disso, a nova versão da Crosser é equipada com protetores de bengala e guarda-pó nos cilindros dos amortecedores dianteiros, protegendo-os de terra e água, comuns no fora de estrada.

As cores e grafismos da XTZ 150 Crosser Z são exclusivos, combinando perfeitamente com o seu caráter aventureiro.

Vamos aguardar as novidades da marca que promete levantar a poeira em 2018!

Por Leo "Corrosivo" direto do Salão Duas Rodas 2018.

O piloto multi campeão capixaba Bruno Crivilin acaba de renovar mais um ano com o Grupo Orange/KTM e promete encarar novos desafios em 2018. Piloto oficial da Red Bull e KTM tem o entra em seu quarto ano e agora como atleta Orange/BH nas competições.

“As coisas tem acontecido muito rápido na minha carreira, mas as minhas principais conquistas vieram como piloto da Equipe Orange BH KTM Racing. Foi correndo pela equipe que consegui os dois títulos brasileiros, o título do Romaniacs e a Medalha de Ouro no Six Days. Tem sido uma parceria muito vitoriosa. Esse ano estarei defendendo a Orange BH KTM sozinho, será diferente dos outros anos onde éramos uma equipe, mas os planos são ambiciosos e estou bastante animado para 2018. Além do Brasileiro de Enduro estamos planejando algumas novidades também lá fora, me sinto preparado para os novos desafios que estão por vir. Apesar de ser o quarto ano, sinto como se fosse o primeiro, não vejo a hora de começar a nova temporada!”, comemorou Bruno Crivilin.

"Estamos muito felizes com a renovação e o Bruno também" comentou Carlos Augusto Constantino - Diretor de Competição do Grupo Orange.

"Já são 4 anos de trabalho com a Orange BH/KTM. E agora ele terá todo o holofotes virado para ele como atleta Orange BH e não mais como equipe e com isto estamos acertando os detalhes para ele correr pela primeira vez Erzberg Rodeo, Mundial de Enduro, algumas etapas do Mundial de Hard Enduro e o Brasileiro de Enduro" comentou Constantino ao site CorrosivoFilmes/Garage.

Agora é aguardar este fera das duas rodas acelerar forte pelo mundo representando o nosso Brasil.

Por Leo "Corrosivo" direto da redação com foto Carlos Franzen (Toninho)

E ai, bora encarar a última etapa do Brasileiro de Hard Enduro? E que tal aumentar o desafio correndo a noite? Está é a proposta da organização do  Night Track Hard Enduro que receberá os melhores pilotos entre os dias 9 e10/12/2017 a cidade de Morungaba/SP. No Night Track os pilotos serão desafiados a todo momento, levando a relação entre homem; máquina e natureza ao limite.

A prova promete ser a mais difícil de todas, com o intuito de preparar os pilotos das categorias Nacional, Bronze e Silver que pretendem subir de categoria na próxima temporada. Segundo o organizador, Vincenzo Barbagallo, as categorias Nacional e Bronze vão apresentar uma dificuldade com nível de Silver, e a Silver vai ser tão exigente quanto a Gold. Já em relação a Gold, os organizadores garantem que os pilotos serão levados ao extremo limite.

No sábado os pilotos vão enfrentar o desafio Night Track, que será um cross country noturno com obstáculos, onde serão dadas três voltas por categoria. A organização informa que os pilotos vão precisar de muita habilidade para transpor o tão esperado "corredor da morte", que se trata de uma série de obstáculos artificiais desenvolvidos pelos organizadores.

Já no domingo, a prova terá início às 8:00 da manhã e o percurso terá aproximadamente 20km de puro HARD ENDURO.

Vincenzo informa que a ideia inicial era realizar o percurso do domingo no sábado de noite, mas devido a complexidade dos desafios, a maioria dos pilotos não conseguiria completar o percurso sem a luz do dia. Portanto,  para promover a diversão, optamos por deixar o grande desafio para o final. Mas vale lembrar que o desafio noturno não será nada fácil.

Logo após o término do segundo dia de prova, acontecerá a festa de premiação do Campeonato Brasileiro de Hard Enduro. Confraternização onde os pilotos finalmente vão relaxar e curtir.

E ai, vai encarar o desafio?

Colaboração e foto: Agencia Calango

A média diária de emplacamentos ficou em 3.249 unidades, volume 1,8% inferior ao registrado em setembro; contudo, na comparação com outubro do ano passado houve alta de 3,9%

Dados da ABRACICLO, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, mostram que foram produzidas 77.076 motocicletas em outubro, o que representa estabilidade com relação às 76.668 unidades fabricadas em setembro. Contudo, na comparação com outubro de 2016 (71.520) houve alta de 7,8%. Já no acumulado dos dez meses deste ano foram fabricadas 729.268 unidades, o que demonstra recuo de 7% na comparação com igual período do ano passado (784.519). “A estabilidade no volume de produção confirma a tendência para a melhora do desempenho da indústria a partir do próximo ano”, diz Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo. 

 Em outubro, o desempenho de vendas no atacado – para as concessionárias – foi superior a setembro, com 69.620 motos repassadas às lojas, o que representa alta de 9,8% sobre as 63.428 unidades comercializadas no mês anterior. Ainda de acordo com Fermanian, “a recuperação das vendas no atacado em outubro vai contribuir para refletir o aumento no varejo, pois em geral os estoques nas concessionárias se encontram bem controlados e em relação a alguns modelos estão abaixo do ideal”. Na comparação com o mesmo mês de 2016, o aumento foi de 17% (59.480). No acumulado do ano, a redução foi de 9,4%, com 672.971 em 2017 ante 742.933 no ano passado.

Já o desempenho das exportações caiu em outubro, quando foram enviadas a outros países 7.761 motocicletas, recuo de 30,8% sobre as 11.208 unidades embarcadas no mês anterior. No entanto, na comparação com outubro de 2016 houve aumento de 58% (4.911). Nos dez meses do ano o volume total de exportações foi de 67.005, alta de 37,7% sobre 48.663 unidades referentes a igual período de 2016. O principal destino das motocicletas exportadas ainda é a Argentina.

Emplacamentos

Com base nos licenciamentos registrados pelo Renavam, as vendas para o varejo totalizaram 68.236 unidades em outubro, alta de 3,1% sobre as 66.209 motocicletas emplacadas em setembro. Na comparação com outubro do ano passado* (62.554 unidades) foi verificado aumento de 9,1%. Mas nos dez meses do ano de 2017 houve redução de 5,5%: 708.299 licenciamentos em 2017 e 749.834 no ano passado.

A média diária de vendas em outubro ficou em 3.249 unidades, redução de 1,8% na comparação com as 3.310 motos licenciadas em setembro. Contudo, na comparação com outubro do ano passado (3.128) ocorreu um salto de 3,9%.

(*) Foram desconsiderados os ciclomotores usados, cujo licenciamento junto aos Detrans passou a ser obrigatório a partir da Lei nº 13.154, de 30/07/2015, e da Resolução Contran nº 555/15, de 17/09/2015.

Colaboração: Abraciclo / Associados

A yamaha do Brasil comemora 47 anos de fundação em solo Tupiniquim. E mesmo em tempo de crise, a marca do três diapasões continua crecendo e apresentando novos produtos para o consumidor no país. E tudo começou no mês de novembro de 1970 quando aYamaha chegou ao Brasil. Inicialmente atuando como uma importadora na icônica Rua General Osório, em São Paulo, a marca que já era conhecida pela qualidade superior dos instrumentos musicais que produzia, passava encantar o brasileiro com um produto totalmente diferente: motocicletas arrojadas e de desempenho superior para época.

Quatro anos mais tarde, já instalada na recém inaugurada fábrica em Guarulhos (SP), a Yamaha novamente fez história ao ser a primeira fabricante a produzir uma motocicleta no Brasil, a saudosa RD 50.

A grande expansão veio em 1985, com a inauguração de uma segunda unidade fabril, maior e mais bem equipada, em Manaus (AM). Nela, a primeira motocicleta a sair da linha de produção foi a DT 180 N, modelo que teve grande contribuição para tornar o segmento trail tão popular no Brasil.

A Yamaha Motor do Brasil cresceu e se tornou um importante polo produtor e exportador para grupos seletos e exigentes como, Europa, Estados Unidos, Canadá, Japão, Oceania e Mercosul. 

Atualmente o grupo é constituído por oito empresas, a Yamaha Motor do Brasil Ltda, Yamaha Motor da Amazônia Ltda, Banco Yamaha Motor do Brasil S/A, Yamaha Administradora de Consórcio Ltda, Yamaha Motor do Brasil Corretora de Seguros Ltda, Yamaha Motor Componentes da Amazônia Ltda, Yamaha Motor do Brasil Serviços e Participações Ltda e a Yamalog Ltda

Com garra, vontade e sobretudo a mesma paixão de quando começou suas atividades no Brasil, a Yamaha Motor do Brasil continua a acreditar no país e vive um dos melhores momentos desde sua inauguração. Mesmo frente as dificuldades que o setor de motocicletas enfrenta, com quedas nas vendas mês após mês, a Yamaha seguiu crescendo, aumentando sua produção em 32% em relação a 2016. De janeiro a outubro de 2017, enquanto o mercado recuou 7%, a Yamaha Motor do Brasil cresceu 6,8%.

Em quase cinco décadas instalada no país, a Yamaha Motor do Brasil conquistou a admiração e respeito de milhões de brasileiros, muitos deles experimentando a sensação e a emoção da pilotagem de uma motocicleta pela primeira vez ao guidão de uma Yamaha. E propiciar essa incrível emoção é o grande objetivo da Yamaha para seus próximos aniversários.  

Colaboração e foto: Yamaha do Brasil

Pensa em um capacete animal?

Então confira o novo Capacete ASW Fusion 18. O novo capacete ASW Fusion 18 é um produto que chega para complementar a coleção ASW Moto 2018. Reconhecido pelo seu inovador sistema de ventilação e seu design moderno, o capacete Fusion chega com novos gráficos e com novas combinações de cores, como vermelho/fluor, vermelho/preto, preto/amarelo, laranja e cinza/fluor, além de contar com as seguintes especificaçõe

• Casco em policarbonato;

• EPS em dupla densidade

• Forros e pads ventilados, removíveis, laváveis e substituíveis;

• Queixeira revestida em EPS;

• Pala com regulagem de altura;

• Amplo Campo de visão;

• Aprovado pelo Inmetro.

O talentoso piloto e multi-campeão Capixaba Jomar Grecco está de casa nova no off road e passará a defender as cores branca e azul da Yamaha em 2018. A bordo de uma WR250F - 2018, o piloto passara a contar com uma nova infraestrutura para disputar o Enduro da Independência, Brasileiro de Regularidade e Ibitipoca.

"A grande novidade, além do Jomar defender a Yamaha em 2018, ele passará a contar com uma estrutura do mesmo nível da nossa equipe de Enduro FIM junto ao Independência, Ibitipoca e Brasileiro de Regularidade. E vai contar com um companheiro de equipe de peso, Fábio Coelho, atual Campeão do Enduro da Independência - Categoria Brasil que vai pilotar uma TTR 230cc nas provas" comentou Carlos Augusto Constantino - Diretor de Competição do Grupo Orange - O2BH/Yamaha ao Canal CorrosivoFilmes/Garage.

Agora é esperar 2018 começar para ver os pilotos levantando a poeira.

Por Leo "Corrosivo" direto da redação com fotos da O2BH.

A organização do Enduro da Independência anunciou a sua data de lançamento da prova de 2018.

Anote ai em sua agende e fique ligado nas redes sociais e no canal oficial da prova: www.endurodaindependencia.com

Pro Leo "Corrosivo" direto da redação.

O fim de semana passou rápido no Circuito dos Cristais que recebeu a última e quarta Etapa do GP Gerais entre os dia 04 e 05/11/2017 e contou com a participação de mais de 120 competidores de diversos estados Brasileiros em solo mineiro.

No sábado (04/11) os treinos classificatórios foi de arrepiar principalmente na categoria 300cc. O jovem e talentoso piloto de apenas 13 anos Enzo Garcia acabou sofrendo uma queda lesionando o tornozelo. Atendido pela equipe médica do GP Gerais no sábado, Enzo voltou para pista no domingo e acabou levando a prova e o Campeonato Mineiro de Motovelocidade.

Já a aguardada corrida da SBK no domingo (05/11)  foi insana e contou com a participação de nomes com Antônio C. Franzen, Jirios Abboud, Fernando Guerra entre outros feras. Bandeira agitada e os pilotos cortarm o giro na reta para ver quem ficaria na pole. Acelera daqui, utrapassa na curva, corta na reta até que na sexta volta da corrida a moto #93 quebrou o motor levantando fumaça branca e jogando óleo pela pista.

Bandeira vermelha agitada, pilotos de volta aos boxes e rapidamente a equipe de trabalho do GP Gerais entrou em cena para retirar o óleo da pista. Logo depois com a pista pronta para receber os pilotos, foi realizada a relargada, onde os pilotos acelerando tudo até a última volta levando o público ao delírio com a passagem das motos pela reta do Circuito a quase 300kms/h.

A festa de premiação concagrou os melhores pilotos da temporade Mineira que tinha mais cara de Brasileiro de Motovelocidade. Sem dúvida, foi uma final pra lá de emocionante ver a turma acelerando e fazendo a festa com toda segurança e atenção da equipe do GP Gerais!

Em 2018 não perco uma! 

O resultado completo você pode conferir no link: www.gpgerais.com.br

Por Leo "Corrosivo" direto da redação.

Anote em sua agenda: 
4 e 5 de novembro 2017 a Grande Final do GP Geraisl em Curvelo/MG.

Está chegando a Grande Final do GP Gerais. No próximo sábado e domingo, dias 4 e 5 de novembro no Circuito dos Cristais, em Curvelo/MG. Pilotos de todo o Brasil na pista mineira, a maior do Brasil com 4.420 metros.

Praça de alimentação completa, show de wheeling, moto passeio na pista, área kids, muita música e diversão.

Estacionamento gratuito para motocicletas. Carros a 10 Reais por dia. Acesso ao autódromo gratuito e Credencial de Paddock por 10 Reais mais 1Kg alimento não perecível ou 1 pacote de Fralda Geriátrica + 10 Reais valem 2 credenciais de Paddock. Vendas somente no dia, no local do evento. 
E ainda espaço Fast Girls, camarotes corporativos, Trackday (categoria Touring) e muito mais.

Informações whatsapp 31-99939-6783 e 31-99971-8318 ou gpgerais.com.br

Bora lá!

Outras informações: www.gpgerais.com.br

Por Leo "Corrosivo" direto da redação.