Pelo quarto ano seguido, o Rally dos Sertões contará com a categoria especial Brasil - CRF 230cc. A classe especialmente destinada a pilotos que competem com a motocicleta Honda CRF 230F, modelo nacional que popularizou o esporte off-road em todo o país, é considerada a porta de entrada para o evento. O paulista Júlio “Bissinho” Zavatti, da Honda Racing, venceu todas as disputas e está de olho no tetracampeonato pela categoria. A largada do 26º Rally dos Sertões está marcada para este sábado (18), em Goiânia (GO).

Após 3.601 quilômetros de desafios, incluindo 2.059 de especiais (trechos cronometrados), a prova termina no próximo dia 25 em Fortaleza (CE). O roteiro também inclui passagem pelos Estados da Bahia e do Piauí. Bissinho quer ampliar o domínio na classe Brasil - CRF 230cc e, de quebra, conquistar lugar de destaque na classificação geral das motocicletas. No ano passado, ele cravou o quarto lugar das motos a bordo da versátil Honda CRF 230F - depois de ficar em sexto nas disputas de 2016 e em nono em 2015. 

“Pelos resultados, é possível notar a minha evolução no Rally dos Sertões. É um grande feito para mim e para a Honda CRF 230F brigar de igual para igual com as motos importadas e de maior cilindrada. A felicidade é grande em competir e alcançar mais resultados importantes”, declarou Bissinho.

“A motocicleta é mais leve e muito prazerosa de pilotar em qualquer tipo de terreno, qualquer tipo de prova. Eu me sinto muito bem com ela e por representar a equipe Honda Racing no Rally dos Sertões, pretendo acelerar a CRF 230F por muito tempo ainda”, acrescentou. Bissinho também destacou as qualidades do modelo nacional assinado pela Honda nos trechos mais travados.

“Nos trechos mais difíceis do rali, a moto se sai muito bem porque é leve e tem um torque de motor bem mais fácil de dominar do que o de um equipamento de alta cilindrada. A CRF 230F encara qualquer desafio, principalmente os pontos mais técnicos do percurso, onde não basta apenas acelerar. Desta forma, é possível ganhar tempo e conseguir subir posições na classificação geral”, ensinou. 

Além da divisão exclusiva para o modelo nacional da Honda, Bissinho compete no Sertões pela categoria Rally Brasil, que reúne os pilotos com motocicletas fabricadas no país. A prova também vale como as etapas finais do Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country 2018, no qual o piloto da Honda Racing está invicto e lidera com folga as disputas da Rally Brasil. 

A equipe Honda Racing de Rally conta com o patrocínio da Honda, Michelin, Mobil, D.I.D correntes, Edgers, BRC, Race Tech e Alex Design.

Roteiro do Rally dos Sertões 2018:

1ª Etapa - Domingo (19/08) Goiânia (GO) - Formosa (GO)
Deslocamento Inicial - 245 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 315 km
Deslocamento Final - 126 km Total do dia: 686 km

2ª Etapa - Segunda-feira (20/08) Formosa (GO) - Posse (GO)
Deslocamento Inicial - 29 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 307 km
Deslocamento Final - 47 km
Total do dia: 383 km

3ª Etapa - Terça-feira (21/08)
Posse (GO) - Luís Eduardo Magalhães (BA)
Deslocamento Inicial - 24 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 255 km
Deslocamento Final - 71 km
Total do dia: 350 km

4ª Etapa - Quarta-feira (22/08)
Luís Eduardo Magalhães (BA) - Barra (BA) - ETAPA MARATONA
Deslocamento Inicial - 123km
Trecho Especial (Cronometrado) - 355 km
Deslocamento Final – 0 km Total do dia: 478 km

5ª Etapa - Quinta-feira (23/08)
Barra (BA) - São Raimundo Nonato (PI)
Deslocamento Inicial - 0 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 401 km
Deslocamento Final - 45km
Total do dia: 446 km

6ª Etapa - Sexta-feira (24/08)
São Raimundo Nonato (PI) - Juazeiro do Norte (CE)
Deslocamento Inicial - 39 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 226 km
Deslocamento Final - 337 km
Total do dia: 602 km

7ª Etapa - Sábado (25/08)
Juazeiro do Norte (CE) - Fortaleza (CE)
Deslocamento Inicial - 168 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 200 km
Deslocamento Final - 288 km
Total do dia: 656 km

TOTAL DA PROVA: 3.601 km
TOTAL DE ESPECIAIS: 2.059 km

colaboração e foto: Mundo press/Gustavo Epifanio

A quinta-feira foi agitada nas rampas Caracas Trails, em Carapicuíba, na Grande São Paulo. Pilotos de BMX do Brasil e de outros países iniciaram os treinos livres para o SUPERBMX Estilo Livre que acontece até domingo (19) no local, com entrada franca para o público em todos os dias.

Um dos pilotos internacionais convidados para o evento é o americano Anthony Napolitan. Ele conta que não é a primeira vez que vem ao País para praticar o esporte e está muito ansioso para as próximas fases. “Eu amo competir no Brasil, o nível dos atletas é muito alto e Caracas é uma pista única, com saltos muito altos. Com certeza será um evento muito divertido”, conta.

A competição continua nesta sexta-feira (17), entre às 9h e meio-dia com os treinos oficiais que precedem a pré-classificatória (das 14h às 17h). No sábado, o clima esquenta ainda mais com a 1ª bateria classificatória, das 10h às 12h e a 2º bateria das 14h às 16h. A grande final acontece no domingo, a partir das 10h, com transmissão ao vivo pela SporTV.

Arbitragem e regras

O time da arbitragem será composto por 4 juízes, incluindo o "Head Judge" que será nomeado para a competição. Cada árbitro deve avaliar de forma independente o desempenho dos atletas com base nos critérios de julgamento. De acordo com Flávia Santos, coordenadora da prova, o desempenho dos atletas é avaliado na impressão geral, que inclui: a dificuldade das manobras, as combinações utilizadas, a coerência, estilo, domínio da bicicleta. "É avaliado, por exemplo, a amplitude de cada salto, a originalidade, a utilização do percurso e a aterrissagem", explica.

Flávia também conta que a avaliação geral da volta é a mais importante. "O juiz avalia as sequências de manobras, o grau de risco e a forma como o atleta usa as rampas. De forma geral, as faltas são definidas como interrupções ou perda de controle durante uma volta". Segundo ela, faltas menores podem incluir aterrissagens duras, deslizamentos, pequenos toques com os pés no chão e outras instabilidades. Já as faltas médias incluem parar com os pés apoiados para recuperar o equilíbrio. As faltas graves são aquelas em que o atleta "perde" a bicicleta ou cai.

Atletas reconhecidos mundialmente

Os atletas convidados para a competição são famosos internacionalmente. Entre eles, o brasileiro campeão mundial Leandro Moreira (Overall), os americanos Anthony Napolitan e Alex Landeros e o austríaco Tobi Merz.

O evento é realização do Instituto IAPOIO, organização OnSports, patrocínio Monster Energy Drink, Prefeitura de Carapicuíba, Honda e Seguralta Seguros.

Programação e Serviço | SUPERBMX Estilo Livre

  17 de agosto: Das 9h às 12h - Treinos Oficiais || Das 14h às 16h - Pré-Classificatória

18 de agosto: Das 9h às 10h - Warmup ||Das 10h às 12h - 1ª bateria classificatória ||Das 14h às 16h - 2ª bateria classificatória

19 de agosto: Das 10h às 10h30 – Warm up || Das 10h30 às 12h - Final e premiação

Onde: Caracas Trails

Endereço: Rua do Estádio, 31 – 163 (Conj. Habitacional Pres. Castelo Branco) – Carapicuíba/SP

Entrada: Gratuita

Colaboração e foto: 222 Comunicação

O multicampeão, Felipe Zanol está de volta ao Enduro da Independência em 2018. O anúncio foi realizado nesta quarta feira (15/08) na apresentação da Prova realizada na região de Macacos em Nova Lima/MG que recebeu amigos, convidados e a imprensa.

"Eu estava relembrando aqui quando cheguei na apresentação do Ei2018 e de como tudo começou na minha vida de piloto” comentou Zanol.

Durante o evento foi apresentado detalhes da prova como percurso, material gráfico, estrutura técnica entre muitas outras informações importante a respeito da edição 2018.

Ao final da apresentação, Felipe Zanol falou ao público da importância de sonhar em fazer a prova. “Tudo começou com o meu primeiro Enduro da Independência em 1997 e de lá prá cá já participei como piloto em 22 edições. Então será um prazer enorme de voltar rodando de moto e de participar novamente da prova, e ainda mais como embaixador do enduro.

Vamos ajudar a divulgar o Ei2018 nacionalmente e internacionalmente. Muito obrigado a todo mundo da organização por esta oportunidade” concluiu o campeão Felipe Zanol que foi aplaudido de pé pelos convidados.

Que venha o Enduro da Independência 2018!

Quem é Felipe Zanol:

Chefe equipe de Enduro da Honda Brasil

Nascimento: 18/09/81

Natural de Belo Horizonte

Títulos/Desempenhos:

2012 – Campeão Rally dos Sertões

2003-2007 e 2010-2012 – Octacampeão Brasileiro de Enduro

2003, 2005, 2007, 2010, 2011 – Pentacampeão Brasileiro de Cross Country

2008 e 2009 – Bicampeão Português de Enduro

2012 – 10º colocado no Rally Dakar

2012 – 2º melhor estreante no Rally Dakar

PROGRAMAÇÃO DA PROVA 2018:

04/09

Entrega de Material e Largada Promocional em Lavras/MG

05/09

Lavras/MG a Lavras/MG

06/09

Lavras/MG a Lambari/MG

07/09

Lambari/MG a Itajubá/MG

08/09

Itajubá/MG a Itajubá/MG

Por Leo "Corrosivo" direto da apresentação do Ei2018.

Para representar o Brasil no International Six Days Enduro (ISDE), entre os dias 12 e 17 de novembro no Chile, a Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM) convocou os melhores atletas brasileiros para integrar os times Thophy e Júnior na temporada 2018 da competição. Considerado como a "olimpíada" do motociclismo off-road, o ISDE é realizado anualmente pela Federação Internacional de Motociclismo (FIM), reunindo as melhores seleções de pilotos de dezenas de países.

Conforme critérios previamente definidos entre os pilotos, equipes e Comissão de Enduro da CBM, a seleção brasileira para a categoria Thophy será composta por quatro pilotos. São eles:

• Bruno Ribeiro Crivillin (licença CBM 41945), ORANGE BH KTM RACING, tendo como reserva Vinícius Calafati Ribeiro (licença CBM 28114)

• Júlio César Ferreira Elisiário (licença CBM 15921), HONDA RACING, tendo como reserva Nicolás Rodriguez (licença CBM 32302)

• Patrik Capila de Souza Reginaldo (licença CBM 28140), YAMAHA O2BH RACING, tendo como reserva Rômulo Bottrel Alvarenga Neto (licença CBM 1648)

• Gustavo Pellin (licença CBM 24467), KTM Sacramento, tendo como reserva Diego Baesso Colett (licença CBM 9361).

No ano passado, o Brasil fez história na competição e conseguiu ficar entre os 10 primeiros colocados. A conquista da 8ª posição foi o melhor resultado do Time Brasil em todos os tempos. “Assim como em outras modalidades, o enduro tem mostrado um potencial enorme para criar novos pilotos com qualidade técnica muito grande. Isto mostra que estamos no caminho certo em apoiar nosso Campeonato Brasileiro de Enduro FIM, em apoiar as federações para que continuam mantendo o campeonato estadual de Enduro FIM e também àquelas que ainda não possuem, que possam criar a competição nos seus estados para que novos pilotos possam ser criados e a tradição ser mantida. Fico feliz em termos uma equipe neste nível técnico, e mais feliz ainda pelo Brasil poder enviar um time para representar nosso país no maior evento esportivo da modalidade. O fato de termos uma equipe nesta competição já pode ser considerada uma pré-vitória e pela qualidade dos pilotos, com certeza vai ser alcançado um excelente resultado”, comentou Firmo Alves, presidente da CBM.

Parte do time selecionado foi responsável pelo bom resultado conquistado em 2017 na França e os brasileiros devem este ano ir com tudo para brigar por melhores posições no Chile. “O Enduro FIM vive um ótimo momento. Os pilotos e equipes estão cada vez mais competitivos e as provas, mais elaboradas. Os organizadores locais se mostram 100% comprometidos com o Campeonato Brasileiro. Estas participações internacionais cada vez mais nos ajudam a desenvolver a modalidade aqui no Brasil. Tenho me dedicado muito ao Enduro e é gratificante notar os resultados deste trabalho”, disse Mauricio Brandão, diretor da modalidade na CBM. O Time Brasil será apoiado pela ASW, empresa do segmento de equipamentos que irá oferecer os seus conceituados produtos aos atletas que não tiverem nenhum impedimento contratual. “Sem dúvida o Enduro brasileiro vive seu melhor momento. E vamos mais longe. Um momento  muito especial entre todas as modalidades do motociclismo. Isto graças a um trabalho muito sério e de longo prazo. A ASW tem um enorme orgulho de estar junto com todas as participações no Six Days. E no Chile não vai ser diferente. Obrigado a cada um que faz este sonho ir mais longe”, declarou Fernando Silvestre, diretor comercial da ASW.

Como a maior e principal incentivadora, a CBM ainda avalia as possibilidades para formar o Time Júnior, uma vez que Bruno Crivillin e Patrick Capila, que têm idade para competir, já estão garantidos na Thophy. Os outros pilotos aptos e dispostos a compor o Time Júnior ainda precisam viabilizar patrocinadores para a ida ao maior evento do mundo na modalidade.

A CBM esclarece que a vaga é do atleta, apto e selecionado, a qual deve ser confirmada o mais rápido possível pelo participante, equipe e seus parceiros, bem como os custos desta participação serão assumidos pelos atletas e / ou patrocinadores e equipe. A CBM é isenta quanto às despesas da participação do Time Brasil, porém se compromete em cumprir com sua função institucional de incentivar e divulgar o esporte, além de realizar procedimentos de seleção e trâmites burocráticos necessários para viabilizar esta participação.

Colaboração e foto: CBM

Largando em 14º, o piloto nove vezes campeão mundial faz uma brilhante corrida de recuperação, ultrapassando oito oponentes e chegando em 6º lugar.

 O resultado da classificação para a etapa austríaca da MotoGP, um 14º lugar, a princípio poderia minar os ânimo de Valentino Rossi, mas o que se viu no GP disputado no dia 12 de agosto, foi uma incrível corrida de recuperação do nove vezes campeão mundial.

Apesar de inúmeras dificuldades ao longo do fim de semana, Rossi cruzou a linha de chegada na honrosa 6ª colocação, equanto que seu companheiro de equipe Maverick Viñales, que largou em 11º, chegou em 12º lugar.

Rossi fez uma largada cautelosa, atento às movimentações dos outros pilotos que seguiam a sua frente. Mesmo assim ele completou a primeira volta em 11º lugar. No início da quarta volta, o italiano assumiu a 10ª colocação e duas voltas depois já era o 9º, a frente de Johann Zarco.

A batalha pelo 8º lugar com Aleix Espargeró exigiu mais esforço do lendário piloto da Yamaha, que após ultrapassá-lo, teve pela frente uma grande lacuna até Tito Rabat. Dez voltas depois, Rossi tirou a diferença, conseguiu a posição e garantiu o sétimo lugar.

Não satisfeito, Valentino Rossi continuou a forçar o ritmo em busca de Álex Rins, que seguia 2,5 s a sua frente. Quatro voltas depois, o piloto da Yamaha conquistava o 6º lugar.

 A aproximação junto a Danilo Petrucci aconteceu, mas não a tempo de Rossi tentar um bote. Com isso, o italiano cruzou a linha de chegada em 6º lugar.

Viñales chegou ao GP da Ástria determinado a evitar o ocorrido na etapa anterior, quando sofreu uma queda na primeira volta. Sendo assim, o piloto da Yamaha começou a prova de forma comedida, o que lhe custou cinco posições, caindo para de 11º apara 16º lugar.

Gradualmente Viñales foi aumentando seu ritmo e recuperando posições até chegar em seu compatriota Aleix Espargaró. Ele bem que tentou ultrapssá-lo, mas em função do pneu traseiro deteriorado, não foi além do 12º lugar.

Com o resultado da etapa na Austria, Rossi permanece na segunda posição na classificação do campeonato, com 59 pontos para o primeiro, e 29 pontos à frente do companheiro de equipe Viñales, que agora está na quinta posição.

A Yamaha detém o terceiro lugar no Campeonato de Construtores depois da corrida em Spielberg, na Austria, com uma margem de 53 pontos para o primeiro, enquanto a Equipe Movistar Yamaha de MotoGP está agora na terceira posição da tabela, com uma diferença de 12 pontos da segunda colocada.

A equipe Movistar Yamaha MotoGP estará de volta à ação entre os dias 24 a 26 de Agosto, quando acontecerá o GP da Grã-Bretanha, disputado no Circuito de Silverstone.

colaboração e foto: Yamaha do Brasil

Maior fabricante de motocicletas do mundo, a Honda patrocina o Rally dos Sertões pelo sétimo ano consecutivo. A 26ª edição do principal evento off-road brasileiro será realizada de 18 a 25 de agosto, com largada em Goiânia (GO) e chegada em Fortaleza (CE). Pronta para defender a hegemonia entre as motocicletas, a Honda planejou uma série de ativações com o objetivo de marcar presença nas trilhas e nos bastidores da prova.

O Rally dos Sertões inclui 3.601 quilômetros de desafios por quatro estados brasileiros: Goiás, Bahia, Piauí e Ceará. A Honda utilizará a maior plataforma off-road do país para se aproximar ainda mais do público, dos consumidores e dos fãs da marca.

Dentro do programa de relacionamento REDRIDER, acontecerão viagens guiadas para a largada, em Goiânia, com grupos de clientes do Centro-oeste e Sudeste, e para a chegada, em Fortaleza, com grupos do Nordeste. Outra ação especialmente criada para proprietários da bigtrail CRF 1000L Africa Twin será o acompanhamento das nove etapas do Rally dos Sertões. Com um roteiro desenvolvido pela equipe do piloto sete vezes campeão da prova, Jean Azevedo, um grupo de 15 clientes e concessionários passará por todas as cidades da competição, sentindo o clima do rally.

Também estão programadas exposições e test drives com motocicletas e ações envolvendo a rede de concessionárias e jornalistas especializados.

“O Rally dos Sertões tem a motocicleta no DNA. Começou como uma prova para motos e ganhou muita expressão em todos esses anos de história. A Honda tem como filosofias o desenvolvimento de altas tecnologias para o setor de duas rodas e o forte apoio ao esporte, o que inclui o motociclismo off-road. Então, a parceria traz benefícios a todos os envolvidos”, comentou Marcos Paulo Monteiro, gerente geral Comercial e Marketing da Moto Honda.

“Enxergamos o Rally dos Sertões como uma ótima oportunidade para mostrar na prática a qualidade dos produtos desenvolvidos pela Honda e de proporcionar experiências únicas aos clientes, concessionários e profissionais da imprensa. As expectativas são ótimas”, continuou. 

A base da largada do Rally dos Sertões será o Autódromo Internacional de Goiânia, onde o público poderá conferir a apresentação de manobras radicais com motocicletas e quadriciclos do grupo Força & Ação - outra iniciativa da Honda. O show está marcado para o dia 18 de agosto, das 17h30 às 18h30, com entrada franca.

Roque Mendes, diretor comercial da Dunas Race, empresa organizadora do Rally dos Sertões, destacou que a prova também irá gerar muito conteúdo para as mídias sociais. "Todas as ações da Honda serão registradas e amplamente divulgadas pelas redes sociais da empresa, impactando ainda mais pessoas em todo o país que não poderão estar presentes em Goiânia ou na prova", concluiu.

Honda Racing - Campeã das motocicletas nas últimas três edições do Rally dos Sertões, a Honda Racing acelera para ampliar a hegemonia. A equipe conta com o heptacampeão Jean Azevedo, o maior detentor de títulos do Sertões em uma mesma categoria, e o vencedor de 2016 Gregório Caselani na classe Super Production. A dupla utilizará a moto Honda CRF 450RX.

Tunico Maciel, com a mesma motocicleta, acelera pela Production Aberta. Para completar, o piloto Júlio Zavatti, o Bissinho, três vezes campeão da classe Brasil - CRF230cc, está de olho em mais uma vitória na divisão exclusiva para o modelo nacional assinado pela Honda. Dário Júlio é o chefe da equipe Honda Racing.

Categoria Brasil-CRF230cc - A categoria Brasil-CRF230cc foi criada em 2015 para pilotos que competem com a motocicleta nacional da Honda. A classe é uma porta de entrada para os pilotos no Rally dos Sertões e o número de inscritos cresce a cada ano, por conta do baixo investimento de preparação e manutenção.

A Honda CRF 230F mostrou a sua qualidade nas últimas edições do Rally dos Sertões, sendo destaque diante dos modelos importados. Com o piloto Bissinho, a moto alcançou o quarto lugar da classificação geral, depois de ficar em sexto nas disputas de 2016 e em nono em 2015.

Colaboração e foto: Mundo Press/Fábio Davini

Principal desafio do calendário off-road nacional, o Rally dos Sertões terá início no dia 18 de agosto, em Goiânia (GO), com a equipe Honda Racing em busca do quarto título seguido entre as motocicletas. A 26ª edição do evento termina em Fortaleza (CE) no dia 25 de agosto e pode consagrar Jean Azevedo como o maior vencedor da história da prova. Atual campeão, o paulista busca o oitavo título na categoria motos.

A equipe vermelha entra com força máxima nas disputas e também conta com os pilotos Gregorio Caselani, Tunico Maciel e Júlio “Bissinho” Zavatti. O roteiro da prova inclui mais de 3.601 quilômetros de desafios, 2.059 deles de trechos cronometrados (especiais), e também passa pelos Estados da Bahia e do Piauí.

Azevedo possui sete taças e já é recordista de títulos entre as motos. O objetivo agora é obter mais uma marca histórica na prova, considerada um dos principais ralis do mundo. Uma vitória da Honda Racing também significa o quarto título seguido da equipe entre as motos, já que o paulista faturou o título em 2015 e 2017 e Caselani, do Rio Grande do Sul, venceu em 2016. A dupla acelera pela categoria Super Production.

"O Rally dos Sertões é a principal prova do meu calendário, eu trabalho o ano todo pensando nesse desafio”, afirmou Azevedo, que irá acelerar a motocicleta Honda CRF 450RX na busca por mais uma vitória na competição.

"O meu foco, independente da possibilidade de me tornar o maior campeão da história do Sertões, é fazer o melhor na prova e lutar pelo título”, continuou. “Eu não encaro isso como uma pressão a mais, mas é claro que se eu conseguir essa proeza vou ficar muito contente."

Azevedo se diz preparado para o início da competição. “Eu intensifiquei meus treinamentos com a moto nas últimas semanas. Fui para a Serra da Canastra, andar nas pedras, e também treinei na areia. Na questão da preparação física, estou no meu pico agora, na melhor fase possível”, garantiu.

Gregorio Caselani é o atual líder da categoria Super Production e da classificação geral do Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country, que realiza as cinco últimas etapas da temporada no Rally dos Sertões. Além de manter a ponta na competição nacional, o gaúcho está de olho no bicampeonato das motos no Sertões.

“Como estou liderando o Brasileiro, vou em busca das duas coisas: a vitória no Rally dos Sertões e a manutenção da liderança no campeonato nacional. Não quero abrir mão de nenhuma destas conquistas”, disse Caselani. “Estou empolgado para a disputa do Sertões. Venho me preparando bem, a moto também está bem acertada. Então acho que tenho tudo para conseguir um ótimo desempenho”, completou.

Na classe Production Aberta, a aposta da equipe Honda Racing é o piloto mineiro Tunico Maciel com a moto Honda CRF 450RX. O mineiro é o líder dessa categoria no Brasileiro de Rally Cross Country.

“Eu me preparei muito para esta prova, tanto na parte física quanto na questão psicológica, já que é um desafio de sete dias que requer muita concentração”, explicou. “Estou muito focado e confiante em fazer um bom Sertões. Quero chegar lá, fazer uma prova boa e subir no ponto mais alto do pódio em minha categoria e, quem sabe, na geral também.”

Desde quando foi criada, em 2015, a categoria Brasil - CRF 230cc é dominada pelo paulista Júlio “Bissinho”. Ele quer faturar o quarto título consecutivo na classe exclusiva para os pilotos que competem com o modelo nacional assinado pela Honda. Outro objetivo é ter destaque na classificação geral - como fez no ano passado, quando cravou a quarta posição entre as motocicletas importadas. 

“A minha expectativa é a melhor possível, ainda mais porque eu venho correndo a temporada toda. É o primeiro ano que eu participo do Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country de forma integral. Eu me sinto 100% bem preparado desde o começo da temporada”, afirmou o piloto paulista. 

Bissinho venceu todas as nove etapas da competição nacional em 2018 pela categoria para motos nacionais. “Isso ajuda muito, principalmente na navegação e na preparação física, porque atingi um ritmo de competição que é totalmente diferente do que se eu tivesse me preparado para fazer apenas uma prova”, completou.

A equipe Honda Racing de Rally conta com o patrocínio da Honda, Michelin, Mobil, D.I.D correntes, Edgers, BRC, Race Tech e Alex Design.

Roteiro do Rally dos Sertões 2018:

1ª Etapa - Domingo (19/08)
Goiânia (GO) - Formosa (GO)
Deslocamento Inicial - 245 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 315 km
Deslocamento Final - 126 km
Total do dia: 686 km

2ª Etapa - Segunda-feira (20/08)
Formosa (GO) - Posse (GO)
Deslocamento Inicial - 29 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 307 km
Deslocamento Final - 47 km
Total do dia: 383 km

3ª Etapa - Terça-feira (21/08)
Posse (GO) - Luís Eduardo Magalhães (BA)
Deslocamento Inicial - 24 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 255 km
Deslocamento Final - 71 km
Total do dia: 350 km

4ª Etapa - Quarta-feira (22/08)
Luís Eduardo Magalhães (BA) - Barra (BA) - ETAPA MARATONA
Deslocamento Inicial - 123km
Trecho Especial (Cronometrado) - 355 km
Deslocamento Final – 0 km
Total do dia: 478 km

5ª Etapa - Quinta-feira (23/08)
Barra (BA) - São Raimundo Nonato (PI)
Deslocamento Inicial - 0 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 401 km
Deslocamento Final - 45km
Total do dia: 446 km

6ª Etapa - Sexta-feira (24/08)
São Raimundo Nonato (PI) - Juazeiro do Norte (CE)
Deslocamento Inicial - 39 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 226 km
Deslocamento Final - 337 km
Total do dia: 602 km

7ª Etapa - Sábado (25/08)
Juazeiro do Norte (CE) - Fortaleza (CE)
Deslocamento Inicial - 168 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 200 km
Deslocamento Final - 288 km
Total do dia: 656 km

TOTAL DA PROVA: 3.601 km
TOTAL DE ESPECIAIS: 2.059 km

Colaboração e foto: 

As fabricantes de motocicletas produziram 96.277 unidades em julho, o que representa um avanço de 34,7% sobre o mesmo período do ano passado (71.482 unidades). Na comparação com junho (50.118 unidades), o aumento é ainda mais expressivo: 92,1%. Já no acumulado dos sete meses, saíram das linhas de produção 590.961 motos, alta de 19,3% sobre o mesmo período do ano passado (495.232 unidades).

Para Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo – Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, fatores como a ampliação da oferta de crédito e maior participação do consórcio estão sendo fundamentais para bons resultados. Com isso, a Abraciclo revisou recentemente para cima a projeção em relação ao volume de produção esperado para este ano, passando de 935 mil para 980 mil unidades, o que significa um crescimento de 11% em 2018, na comparação com o ano passado. Pela previsão inicial a produção cresceria 5,9%.

Na análise de vendas para o atacado – motocicletas destinadas às concessionárias – foi verificado um aumento de 36,9% em julho (88.773) na comparação com o mesmo mês do ano passado (64.830 unidades). Em relação a junho (50.833 unidades) a alta foi de 74,6%. Já no acumulado de janeiro a julho, foram vendidas 540.084 unidades, correspondendo a um aumento de 15,6% sobre igual período de 2017 (467.143 unidades).

Entre as categorias mais comercializadas em julho, os destaques foram a Street, que aparece no topo do ranking com 51,2% de participação (45.482 unidades), a Trail, com 19,8% (17.548), e a Motoneta, com 15,3% (13.571). Na sequência, vieram Scooter, com 7,2% (6.419), e Naked, com 2,2% (1.927 unidades).

Confira a seguir as características básicas das motocicletas de cada categoria:

Street – Motocicleta de baixa ou média cilindrada destinada ao uso urbano.

Trail – Motocicleta de baixa ou média cilindrada destinada ao uso misto, tanto em vias pavimentadas quanto em terreno não pavimentado.

Motoneta – motociclo tipo underbone, pilotado com o condutor na posição sentado, destinado ao uso urbano, de baixa cilindrada e dotado de câmbio automático ou semiautomático.

Scooter - Motociclo pilotado com o condutor na posição sentado e dotado de câmbio automático ou semiautomático, concebido para privilegiar o conforto.

Naked – Motocicleta sem carenagem, com motor propositalmente exposto e de alto desempenho, concebida para a utilização em terrenos pavimentados. Semelhante a uma motocicleta versão “sport”, sem a carenagem.

Big Trail – Motocicleta de média ou alta cilindrada destinada ao uso misto em terrenos pavimentados e não pavimentados.

Off Road – Motocicleta de qualquer cilindrada destinada exclusivamente à utilização em pisos não pavimentados.

CustomMotocicleta caracterizada por sua vocação para percursos de estrada, destacadamente os mais longos, chamadas de “estradeiras”, que não priorizam velocidade e, sim, conforto.

Sport Motocicletas de cilindradas médias ou superiores com carenagem que privilegia a aerodinâmica e o alto desempenho.

CiclomotorVeículo de duas ou três rodas, provido de um motor de combustão interna, cuja cilindrada não exceda a 50 cm³.

TouringMotocicletas usualmente de alta cilindrada concebidas para a utilização em turismo e viagens de grandes distâncias. 

 

Emplacamentos

Com base nos dados do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), as vendas no varejo totalizaram 76.226 unidades em julho, representando uma alta de 8,4% sobre o mesmo mês de 2017 (70.320 unidades). Na comparação com junho (74.069 unidades) o crescimento foi de 2,9%. Já no acumulado dos sete meses as vendas no varejo cresceram 7,1%, sendo 532.955 neste ano e 497.518 unidades no ano passado.

A média diária de vendas em julho ficou em 3.465 unidades, com 22 dias úteis, correspondendo a uma alta de 3,5% sobre o mesmo mês do ano passado (3.349 unidades), que teve 21 dias úteis. Na comparação com junho houve recuo de 1,8% (3.527 unidades).

 

Exportações

Em julho foram enviadas para outros países 5.229 motocicletas fabricadas no Brasil, o que representa recuo de 37,6% sobre o mesmo mês do ano passado (8.380 unidades). Na comparação com junho (4.404 unidades) houve alta de 18,7%. Com relação ao desempenho no acumulado dos sete meses, foram exportadas 46.259 motocicletas, aumento de 13,4% sobre as 40.797 unidades registradas no mesmo período do ano passado. Os principais destinos neste período foram, pela ordem, a Argentina, Estados Unidos e Colômbia.  

 

Projeções Revisadas

        As projeções revisadas pela Abraciclo para 2018 são as seguintes:

MOTOCICLETAS - PROJEÇÕES 2018 REVISADAS

 

2017

2018

Quantidade

Variação %

Produção

882.876

980.000

97.124

11,0

Atacado

814.573

900.000

85.427

10,5

Varejo

851.013

915.000

63.987

7,5

Exportação

81.789

80.000

1.789

-2,2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Colaboração: Abraciclo / Associadas

Depois de conquistarem os títulos de campeões brasileiros há duas semanas, os pilotos Fábio Amaral e Jomar Grecco garantiram no último sábado (4) e domingo (5), na região de Juiz de Fora/MG, mais dois importantes resultados para a Yamaha O2BH América Racing. Fábio venceu a 29ª edição do Ibitipoca Off Road e garantiu pela terceira vez o Campeonato Mineiro de Regularidade na Categoria Brasil. Jomar, que já venceu quatro vezes o Ibitipoca, foi o vice-campeão do evento na Categoria Máster.

A prova é conhecida como uma das mais difíceis do Brasil e teve recorde de inscritos chegando a 500 participantes. Foram de cerca de 400 quilômetros de muitas trilhas, dificultadas pelas chuvas que caíram na região. O resultado foi o mesmo de toda a temporada e Fábio Amaral confirmou a excelente fase. Ele venceu todas as etapas que disputou este ano com uma motocicleta Yamaha TT-R 230.

“A competição estava boa demais, mesmo com uma dificuldade maior por causa da chuva. Acabei pegando um pouco de trânsito, com alguns pilotos mais lentos à minha frente. A escolha do pneu fez muita diferença, optamos por usar o Kenda Trackmaster devido a lama e assim venci as duas etapas do sábado. No domingo essa confiança no pneu fez muita diferença, em alguns trechos eu escolhi caminhos alternativos para ultrapassar, tive um problema no equipamento de navegação e acabei perdendo, mas no neutro consegui arrumar e venci a etapa da tarde. A moto esteve perfeita nos dois dias, foi muito importante, afinal a prova foi bem exigente, desgastante e longa”, explicou o novo Campeão do Ibitipoca Off Road.

Disputando a categoria Máster, o tetracampeão do Ibitipoca Off Road, Jomar Grecco, conquistou o segundo lugar na prova após intensa batalha com o paranaense Emerson Loth. Com quatro etapas nos dois dias de disputas, a diferença que o separou do degrau mais alto do pódio foi de apenas dois pontos, muito pouco se tratando de Regularidade.

“A prova foi top demais, muitas trilhas, roteiro sensacional, sem repetir trajeto. A região aqui é o paraíso do off road. Fiquei impressionado com a quantidade de trilhas. Foi muito técnica, muito roteiro e navegação, mas a planilha estava perfeita, sem gerar nenhuma dúvida. Com a grande quantidade de chuva que caiu durante a semana, a organização teve que cortar um pequeno trecho no sábado, mas não comprometeu em nada as disputas. E mesmo com as chuvas, não atrapalhou em nada no domingo. Foi sensacional, a estrutura, a organização, o evento, tudo impecável. Se Deus quiser em 2019 estaremos lá para tentar a conquista do pentacampeonato”, explicou Grecco.

O próximo desafio dos pilotos é o Enduro da Independência. Fábio Amaral busca o bicampeonato na Categoria Brasil e Jomar Grecco vai buscar o pentacampeonato. Ele quer se tornar o maior vencedor da prova na categoria principal. O Independência será realizado entre os dias 4 a 7 de setembro no sul de Minas Gerais.

A Equipe Yamaha O2BH América Racing tem patrocínio da Kenda Pneus, ASW, Yamalube, BR Parts, Dragon, Gaerne, Circuit, W-Tech, Stick´s, Durag, Solo, Exceed, MrPro, Academia do PIC e Alex Design. É uma equipe de competição do Grupo Orange, líder em vendas no Brasil com as bandeiras KTM, Yamaha e Kawasaki. Possui uma loja com mais de 4.000 itens em acessórios e equipamentos para prática motociclista on e off Road, uso urbano e recreativo. Motos novas, seminovas e consórcio.

Colaboração e foto: O2Bh Yamaha/Janjão Santiago

A Yamaha do Brasil larga na frente mais uma vez ao iniciar no dia 4 de agosto, a distribuição dos modelos 2019 das motocicletas de competição YZ250F e YZ450F.

O lançamento simultâneo com a Europa e Estados Unidos aconteceu, no Brasil, para o seleto público bLU cRU - pilotos privados que competem com moto Yamaha - em evento realizado no box da equipe Yamaha Monster Energy Geração, em Extrema, Minas Gerais, durante a quinta etapa do Brasileiro de Motocross 2018.

Os pilotos bLU cRU foram recepcionados com coquetel e apresentação técnica das motos, e tiveram a oportunidade de ver de perto os detalhes dos novos modelos que chegam ao mercado nacional com preço sugerido de R$ 48.990,00 para a YZ250F, e R$ 52.050,00 para a YZ450F (valores sem frete).

As motos poderão ser adquiridas nas concessionárias Racing Blue – exclusivas na comercialização da linha YZ e WR – que iniciam a comercialização das YZ450F a partir de 4 de agosto, e as YZ250F a partir da segunda quinzena de agosto.

colaboração e foto: Yamaha do Brasil