Pilotos Honda Racing aprovam o roteiro do 27º Rally dos Sertões

Equipe está em contagem regressiva para encarar mais de 3.600 quilômetros e defender o título das motos com Jean Azevedo, Gregorio Caselani, Tunico Maciel e Júlio “Bissinho” Zavatti.

Largada em Goiânia (GO), passagem pelo sertão nordestino e chegada em Fortaleza (CE). O Rally dos Sertões resgata as suas origens na 27ª edição da prova, de 18 e 25 de agosto, com 3.607 quilômetros de desafios - 2.043 deles de trechos cronometrados (especiais). Os detalhes do percurso foram revelados na noite desta quinta-feira (10), em São Paulo (SP), e os pilotos da Honda Racing aprovaram o roteiro.

A equipe é a atual tricampeã entre as motocicletas, com vitórias do paulista Jean Azevedo (2017 e 2015) e do gaúcho Gregorio Caselani (2016). A dupla integra a classe Super Production e acelera a nova motocicleta Honda CRF 450RX - bem como o mineiro Tunico Maciel, na Production Aberta. O paulista Júlio “Bissinho” Zavatti está de olho no quarto título consecutivo da categoria CRF 230.

A prova terá início em Goiânia pela 17ª vez e cruzará os Estados de Goiás, Bahia, Piauí e Ceará. Serão disputadas sete etapas, com paradas em Formosa (GO), Posse (GO), Luís Eduardo Magalhães (BA), Barra (BA), São Raimundo Nonato (PI) e Juazeiro do Norte (CE).

A edição deste ano, após hiato de seis temporadas, voltará a cruzar o sertão do Nordeste e terá chegada na Praia de Iracema, na capital cearense. Isso faz com que os pilotos voltem a correr em terras nordestinas, em trechos com muita areia, o que exigirá bastante das motos. Outra característica da edição deste ano serão os longos trechos de especiais.

Heptacampeão do Rally dos Sertões, o piloto Jean Azevedo celebrou a “volta às origens” da competição, que de 1993 até 2012 (com exceção de 2005) sempre se encerrou em alguma cidade nordestina. 

“O Rally dos Sertões volta a se encerrar no Nordeste, o que é uma característica diferente em relação às provas dos últimos anos, quando elas terminaram no Centro-Sul. Vamos voltar a ter trechos com muita areia e uma última etapa ‘quebradeira’ que vai ser 100% nova”, disse Azevedo. “A prova vai voltar a ter uma característica mais de Sertões mesmo, de encarar o sertão nordestino. Com certeza será uma prova muito interessante.”

Azevedo aposta no bom desempenho da nova Honda CRF450RX na competição. “É uma moto muito competitiva, com certeza chegaremos na largada do Rally dos Sertões com grandes chances de alcançar bons resultados”, disse.

Gregorio Caselani também acredita que a nova CRF 450RX será um importante trunfo para manter a Honda no topo do Rally dos Sertões. “Os trechos com areia são sempre mais pesados e exigem demais dos equipamentos. Pelas características da CRF 450RX, que é uma moto muito resistente, nós levamos uma vantagem. São pontos positivos que contam para nós”, disse.

Sobre o percurso, o gaúcho afirmou: “É bacana a prova ter especiais longas e com bastante variação de terreno, com areia, terra e piçarra. E também será legal andar em trechos inéditos, onde a gente nunca andou antes. Isso que é bacana do rali”.

Para Júlio Bissinho, forte candidato com a moto Honda CRF 230F na classe direcionada ao modelo nacional, os próximos meses serão de muito treino. “A próxima prova do Brasileiro de Rally Cross Country será disputada no Jalapão, Tocantins, então acho que vai ser um bom treino para nós. Acho que temos que focar bastante nesse tipo de treinamento, com região de piçarra, pedra e areia”, explicou. 

“O Rally dos Sertões vai ser muito bom e duro. E com muita quilometragem de especiais, o que é mais um ponto positivo. Isso é o que a gente gosta, andar ao máximo nos trechos cronometrados”, concluiu o paulista.

O Rally dos Sertões é patrocinado pela Honda e ainda terá disputas de carros, quadriciclos e UTVs. A novidade deste ano é a criação da modalidade “Self” para motos, em que os pilotos correrão sem equipes de apoio. 

A equipe Honda Racing de Rally conta com o patrocínio da Honda, Michelin, Mobil, D.I.D correntes, Edgers, BRC, Race Tech e Alex Design.

Roteiro do Rally dos Sertões 2018

1ª Etapa - Domingo (19/08)
Goiânia (GO) - Formosa (GO)
Deslocamento Inicial - 250 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 300 km
Deslocamento Final - 170 km
Total do dia: 690 km

2ª Etapa - Segunda-feira (20/08)
Formosa (GO) - Posse (GO)
Deslocamento Inicial - 29 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 307 km
Deslocamento Final - 50 km
Total do dia: 386 km

3ª Etapa - Terça-feira (21/08)
Posse (GO) - Luís Eduardo Magalhães (BA)
Deslocamento Inicial - 24 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 255 km
Deslocamento Final - 71 km
Total do dia: 350 km

4ª Etapa - Quarta-feira (22/08) 
Luís Eduardo Magalhães (BA) - Barra (BA) - ETAPA MARATONA
Deslocamento Inicial - 123km
Trecho Especial (Cronometrado) - 355 km
Deslocamento Final – 0 km
Total do dia: 478 km

5ª Etapa - Quinta-feira (23/08)
Barra (BA) - São Raimundo Nonato (PI)
Deslocamento Inicial - 0 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 400 km
Deslocamento Final - 46km
Total do dia: 446 km

6ª Etapa - Sexta-feira (24/08)
São Raimundo Nonato (PI) - Juazeiro do Norte (CE)
Deslocamento Inicial - 39 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 226 km
Deslocamento Final - 338 km
Total do dia: 603 km

7ª Etapa - Sábado (25/08)
Juazeiro do Norte (CE) - Fortaleza (CE)
Deslocamento Inicial - 166 km
Trecho Especial (Cronometrado) - 200 km
Deslocamento Final - 288 km
Total do dia: 654 km

Total da prova - 3.607 km
Total de especiais - 2.043 km

Colaboração e foto: Mundo Press/Idário Café