Luís Oliveira conquista temporada perfeita na Copa EFX Brasil

Sob chuva, a Copa EFX Brasil encerrou a temporada 2017 neste domingo (22) em Guararema (SP). Entre os mais de 100 pilotos que disputaram a sexta e última etapa da competição de enduro, mais uma vez o português Luís Oliveira se sobressaiu, venceu a disputa na Geral e na categoria Elite conquistando os títulos de forma invicta.

A temporada perfeita do piloto da Honda Racing Enduro Team chegou a ser ameaçada pelo seu companheiro de equipe, Júlio Ferreira, que começou o dia na frente, determinando o ritmo no início das especiais. Na rodada final, as motos percorreram três voltas de aproximadamente 35 quilômetros por trilhas com trechos bastante lisos, um tempero especial na disputa pelos títulos proporcionado por uma insistente garoa. No fim, Oliveira reagiu, superou Ferreira e manteve o domínio absoluto na competição.

"Venho sempre com a mesma ideia, dar o meu melhor e se possível ganhar. Hoje não estava muito fácil, porque estou com uma pequena lesão, mas bastava largar na etapa para ser campeão e consegui vencer", disse Oliveira que alcançou o troféu da Copa EFX pela segunda vez na carreira, a primeira foi em 2014.

Ferreira completou em segundo na Elite. "Liderei o começo da prova, só que do meio para o final tive alguns imprevistos, nada demais, mas a categoria Elite é assim mesmo, qualquer erro, qualquer bobeada se perde alguns segundos que são muito preciosos", avaliou o vice-campeão.    

Como previsto, a disputa na Júnior foi equilibrada e emocionante, uma das mais interessantes da final. Vinícius Calafati e Gabriel Soares, o Tomate, imprimiram um ritmo intenso e acabaram a corrida separados por menos de 10 segundos. "Foi um ano bem disputado entre mim e o Tomate. Não podíamos cometer erros, viemos para a última prova e quem ganhasse seria campeão. Eu tinha uma vantagem de três pontos, mas se ele vencesse tirava a diferença e ganhava pelo critério de desempate, por isso eu precisava da vitória", explicou Calafati.

"O dia foi bom, apesar da chuva que acho que ninguém esperava. As especiais ficaram lisas, mas boas, então deu pra andar bem. Acabei cometendo alguns erros também, caí duas vezes, mas na última volta forcei bastante e consegui tirar o tempo", completou o campeão da Júnior e segundo colocado na Geral. 
Tomate reconheceu que o adversário vive excelente fase e o título ficou em boas mãos. "Comecei liderando, muito confiante, com certeza foi meu melhor dia em cima da moto no enduro, sem dúvida. Fiz meu trabalho, fiz o que eu podia para ser campeão. Eu queria muito o título, mas estou feliz com o vice. Parabéns ao Calafati, mérito dele, andou bem, foi uma vitória merecida também. Vamos treinar para o próximo ano".

Victor Miranda, campeão da E1, confirmou o título conquistando mais uma vitória seguido por Júlio Zavatti, o Bissinho, e Rodrigo Pagano. "Fiz uma temporada muito legal, de seis etapas ganhei cinco. Hoje fiz uma prova bem tranquila, só administrando, pois tenho outros campeonatos para concluir até o fim do ano. Foi mais uma bela etapa da EFX. Saio campeão da E1 e no top cinco da Geral. Foi uma boa temporada, de belas provas", destacou.  

Na E2, Washington Silva, o Caipirinha, carimbou a faixa do campeão Renan Bueno. "As duas primeiras etapas andei na categoria 250 (E1), então fiz uma transição para a categoria 450 (E2), pois hoje estou correndo com a KTM 350. A prova foi excelente, bem técnica, lisa, com um single track bacana, livre, onde a moto consegue fluir. Foi bem disputada, os pilotos estão evoluindo cada vez mais em todas as categorias, dos ponteiros até o pessoal de trás, está todo mundo treinando. Temos que agradecer ao Fabião e a todos da organização. Estaremos aqui na temporada 2018". 

Bueno, da equipe Honda Motofield, ressaltou a regularidade como trunfo para chegar ao título da categoria. "Foi uma temporada muito boa, com vários tipos de terreno durante o ano e chuva em alguns momentos. Fui constante durante o ano, conseguindo ficar sempre entre os primeiros e garanti o campeonato. A etapa final foi muito boa, a chuva dificultou bastante e ficou bem liso, mas consegui manter a regularidade".

Na E3, nem um pneu furado foi capaz de parar o campeão Nicolas Rodriguez, da equipe Race Tech. "Foi um ano muito bom, de aprendizado, o primeiro me dedicando 100% ao enduro. Estou feliz demais em acabar com o título", destacou o carioca que desde que começou na modalidade prestigia a competição. "Moro em Niterói, normalmente as etapas da EFX acontecem em São Paulo e venho sempre, aproveito o dia anterior para caminhar pelas especiais". 

Na classe Feminina, Janaína Souza alcançou o pentacampeonato. "É o quinto ano que disputo a Copa EFX e o quinto ano que venço a categoria. Estou muito feliz com esse resultado, foi fruto de muito trabalho e dedicação. A EFX foi o primeiro campeonato de enduro que participei, onde me destaquei, então estar aqui mais um ano com vitória me deixa muito feliz".

A rodada decisiva agradou a atleta da Honda Motofield. "A etapa final foi sensacional, a chuva veio para apimentar ainda mais as disputas, as especiais estavam bem técnicas e ficaram bem lisas, escorregadias. Procurei fazer uma prova constante, evitando erros, queria terminar o ano bem, o que é sempre importante, pois ainda estou disputando alguns campeonatos". Vice-campeã da temporada, Lucian Timm terminou a prova em segundo, com Aline Gorgulho ocupando a terceira posição.

Em uma crescente na fase final do campeonato, Vinícius Souza superou o campeão Bruno Martins na corrida da E4. "A prova foi excelente. Choveu bastante, mas graças a Deus deu tudo certo e venci o dia. Agora é treinar para as próximas corridas que virão no ano que vem", avaliou Souza. Já Bruno, companheiro do vencedor da etapa na equipe Rinaldi ASW Zanol Team, comemorou o quinto título consecutivo na competição, o quarto pela categoria.      

Pela E6, mesmo deixando a vitória escapar, Reinaldo Almeida reverteu uma desvantagem na classificação e ficou com o troféu de campeão. "Foi meu segundo ano no enduro, vim para a final cinco pontos atrás, então terminar com o título é muito importante. É uma modalidade totalmente diferente do que eu sempre fiz, eu não treinei enduro durante o ano, só praticava durante as corridas, mas a base de motocross me ajudou muito. Foi ótimo, estou muito feliz em terminar a temporada com o título", disse o piloto da equipe Sacramento Edgers Racing.

Caio Zannetin foi o vencedor da etapa final. "Foi muito legal, o tempo deu uma bagunçada nas especiais, mas foi muito bom. Estava com uma moto que não estou tão acostumado, andei com ela na etapa anterior e nessa melhorei conseguindo ganhar".

Léo Kauffmann venceu pela segunda vez consecutiva a Trilheiros Importada. "Estava muito molhado, muito difícil, não gosto muito do terreno liso, mas a prova foi boa e bem equilibrada com o Vinícius (Aguilar) e o Lu Melo com quem vinha disputando desde o começo do campeonato. Como ele participou de todas as etapas já foi campeão, então para mim acabou sobrando o segundo lugar no campeonato", comentou o jovem piloto.

Luiz Melo comemorou a conquista na categoria. "Com essa chuva estava muito liso e cometi alguns erros, ainda estou me adaptando com a moto nova. O campeonato foi excelente, todas as provas, desde a primeira. Esse ano pela primeira vez fiz a Copa EFX inteira e ano que vem farei novamente, com certeza. A organização está de parabéns".

Além de completar a temporada invicto na E35, Nielsen Bueno comandou a Sacramento Racing até o título por Equipes, superando a Honda Racing Enduro Team - que venceu a etapa - e a Honda Motofield, que terminaram na segunda e terceira colocações da classificação final, respectivamente. "A equipe foi constante, conseguimos levar quatro títulos individuais, com o Reinaldo (Almeida) na E6, o Vitinho (Miranda) na E1, o Vinícius (Calafati) na Júnior, que foi uma das brigas mais bacanas do ano tanto na Copa EFX quanto no Campeonato Brasileiro, e o meu na E35", destacou Nielsen.

Para o experiente piloto mineiro, o esporte vive uma boa fase. "Foi um ano excepcional para o Enduro, que está mostrando que a modalidade está forte, que veio para ficar, se estabeleceu. As datas são seguidas à risca, temos bons campeonatos, a EFX é um dos mais bem organizados junto com o Brasileiro e alguns regionais. Agora é partir para o ano que vem com essa bola cheia, aproveitar que as equipes estão fortes também, desejar um ótimo 2018 para todo mundo e um ótimo campeonato também".

Pelas categorias Over 45, Over 50 e Trilheiros Nacional, os campeões Fábio Bizarria, Washington Caipira e Pedro Ramos da Silva, respectivamente, confirmaram as conquistas subindo ao topo do pódio também na etapa. Na E5, Evaldo Nespoli faturou a etapa, enquanto o campeão Marcos de Ulhôa terminou em segundo, situação similar a da E CRF 230F, onde o vice Leandro Oliveira levou a melhor sobre o campeão Yan Proque na final. 

Entre as Fábricas, a Honda liderou o ranking com 368 pontos, superando a KTM (327) e a Kawasaki (79). 

Implantando novidades como a divulgação de resultados em tempo real e a transmissão ao vivo das provas pela internet, inovações que também estiveram presentes na prova de Guararema, a Copa EFX Brasil manteve em 2017 a tradição de pioneirismo no enduro nacional. Já estão sendo planejadas pela organização novas melhorias na competição para o ano que vem. "Deveremos continuar com seis etapas em 2018, mas o calendário deve ter novidades, pois muitas cidades têm nos procurado. A cronometragem em tempo real e a transmissão ao vivo permanecem na próxima temporada com possíveis aperfeiçoamentos que já estamos estudando", revelou Fabião Simões, diretor do Adrenatrilha Trail Club. 

A Copa EFX Brasil de Enduro é realizada pelo Adrenatrilha Trail Club com patrocínio da Honda, co-patrocinio da Rinaldi e IMS, e apoio da Motofield, Sig Visual, Edgers, Color Art, Ibéria, Transcaipira e Prefeitura de Guararema (SP).

Resultados

Elite
1. 1 Luis Miguel Anjos Oliveira, 0:46:51,08
2. 2 Julio César Ferreira Eliziário, 0:48:20,05

Junior
1. 3 Vinicius Calafati Ribeiro, 0:47:29,02
2. 4 Gabriel Lucas Soares, 0:47:38,07

Enduro 1
1. 5 Victor Camargo Miranda, 0:50:33,02
2. 6 Júlio César Zavatti, 0:51:51,07
3. 7 Rodrigo Matavelli Pagano, 0:54:47,09
4. 37 Heriko C Golcalves, 0:58:27,06
5. 8 Mauricio Carvalho De Arruda, 2:13:32,01

Enduro 2
1. 10 Washington Pereira Silva, 0:49:20,01
2. 9 Renan Bueno Da Silva Filho, 0:51:42,03
Nc, 12 Claudiney Da Silva Couto, 5:03:25,05

Enduro 3
1. 13 Nicolas Rodriguez Rodriguez, 0:53:41,05
2. 15 Rafael Pasqua Silvestre, 0:54:31,06
3. 17 Peterson Rebechi, 1:00:13,03
4. 14 Flavio Yatsugafu, 1:03:15,08
5. 16 Bruno Russo, 1:05:20,03

Enduro 4
1. 24 Marcos De Souza Oliveira, 0:50:00,02
2. 20 Bruno Batista Martins, 0:50:32,09
3. 22 Vitor Martins Menino, 0:51:58,00
4. 21 Fabrício Lasmar Silva, 0:52:55,03
5. 25 Ravi Rodrigues Lopes, 0:52:58,09

Over 35
1. 29 Nielsen Bueno, 0:49:51,01
2. 30 Marcos Pereira Betencorte, 0:50:16,02
3. 34 Felipe Lima, 0:53:22,08
4. 32 Luciano De Menezes, 0:53:26,10
5. 35 Dimas N.m.v Do Rosario E Silva, 0:57:09,07

Over 45
1. 38 Fabio Bizarria, 0:56:45,07
2. 39 Julio Cesar Pereira, 0:57:38,07
3. 44 Carlos Alexandre Gerola, 1:00:09,04
4. 42 Eduardo Guimarães</Td> <td>1:00:52,03
5. 43 Deivi Sarti Domene, 1:06:26,06

Over 50
1. 50 Washington Caipira, 0:56:23,03
2. 51 Jefferson Colantonio, 1:00:18,01
3. 59 Edmilson Elias De Freitas, 1:05:17,09
4. 54 Julio Figueiredo, 1:07:06,06
5. 57 Valvissir Aguilar, 1:07:29,05

Enduro 5 (novato)
1. 66 Evaldo Tavares Nespoli, 0:53:13,06
2. 60 Marcos De Ulhoa Canto Gebhardt, 0:56:16,02
3. 61 Murilo Silveira Rodrigues, 0:57:52,09
4. 69 Thyago Barletta Azevedo, 1:01:21,02
5. 62 Miguel L. Miranda, 1:01:32,07

Enduro 6 (novato)
1. 79 Caio Zanettin, 0:58:47,01
2. 75 Reinaldo Muniz De Almeida, 0:58:55,08
3. 83 Vitor Pinheiro Siqueira, 1:00:02,09
4. 82 Henrique Seiji Harano, 1:00:57,04
5. 78 Ewerson Lorenzi Araujo, 1:01:44,03

CRF 230F
1. 87 Leandro Da Silva Oliveria, 0:56:32,05
2. 94 Washington De Assis Silva, 0:56:59,03
3. 86 Yan Bueno Proque, 0:57:21,05
4. 89 Luciano Drumond Rocha, 0:58:53,03
5. 88 Edmilson Júnior, 0:59:46,04

Trilheiros Importada
1. 102 Leo Kauffmann, 0:59:36,08
2. 105 Vinicius Lopes Aguilar, 1:04:20,07
3. 110 Renato Pereira Pimentel, 1:06:26,03
4. 101 Luiz Ciocchi Almeida Melo, 1:09:21,01
5. 107 Neumar Dias Ventura, 1:10:42,08

Trilheiros Nacional
1. 113 Pedro Henrique Ramos Da Silva, 1:06:41,08
2. 112 Bruno Tributino Da Silva, 1:08:21,02
3. 116 Aluizio Donizete De Jesus, 1:17:22,08
4. 115 Fabio Henrique Timm, 1:31:55,05
5. 114 Marcelo De Oliveira Fernandes, 3:37:28,07

Feminina
1. 96 Janaina Souza, 1:00:04,09
2. 97 Lucianna Timm Tripaseca, 1:12:07,02
3. 98 Aline Gorgulho, 1:27:44,00
4. 99 Karla Marques, 2:13:11,05
Nc, 100 Lilian Chagas, 5:05:25,07

Classificação Final

Elite
1. Luis Miguel Anjos Oliveira, 137
2. Julio César Ferreira Eliziário, 112
3. Rômulo Bottrel, 48
4. Bruno Crivilin, 44
5. Vinicius Luis Lopes Da Silva, 36

Júnior
1. Vinicius Calafati Ribeiro, 134
2. Gabriel Lucas Soares, 128

Enduro 1
1. Victor Camargo Miranda, 137
2. Júlio César Zavatti, 122
3. Rodrigo Matavelli Pagano, 108
4. Bruno Navas De Araujo, 54
5. Washington Pereira Silva, 42

Enduro 2
1. Renan Bueno Da Silva Filho, 128
2. Washington Pereira Silva, 109
3. Claudiney Da Silva Couto, 64
4. Bruno Navas De Araujo, 40
5. Rodolfo Ripamonti, 40

Enduro 3
1. Nicolas Rodriguez Rodriguez, 137
2. Rafael Pasqua Silvestre, 99
3. Flavio Yatsugafu, 98
4. Bruno Russo, 72
5. Peterson Rebechi, 62

Enduro 4
1. Bruno Batista Martins, 134
2. Fabrício Lasmar Silva, 114
3. Vitor Martins Menino, 112
4. Yuri De Menezes Alves Magalaes, 96
5. Marcos De Souza Oliveira, 95

Over 35
1. Nielsen Bueno, 137
2. Marcos Pereira Betencorte, 122
3. Luciano De Menezes, 110
4. Marcio Tazzinazo Grandão, 99
5. Mauricio Ghiraldelli, 53

Over 45
1. Fabio Bizarria, 137
2. Julio Cesar Pereira, 125
3. Edson Dutra De Oliveira Junior, 86
4. Agnando F Barreto, 83
5. Marcelo Ravagnani, 66

Over 50
1. Washington Caipira, 137
2. Jeferson Colantonio, 120
3. Cesar Augusto Curi Menconi, 92
4. Hudson De Goes Vieira, 83
5. Julio Figueiredo, 82

Enduro 5
1. Marcos De Ulhoa Canto Gebhardt, 131
2. Murilo Silveira Rodrigues, 117
3. Miguel L. Miranda, 102
4. Evandro Lopes Amorim, 84
5. Caio Zanettin, 83

Enduro 6 (Novatos)
1. Reinaldo Muniz De Almeida, 124
2. Joao Paulo Fornazari, 120
3. Renato Uemura, 52
4. Caio Zanettin, 51
5. Valdimir Leite (miro), 48

CRF 230F
1. Yan Bueno Proque, 127
2. Leandro Da Silva Oliveria, 117
3. Edmilson Júnior, 108
4. Luciano Drumond Rocha, 86
5. Olacir Pontieri Filho, 71

Trilheiros Importada
1. Luiz Ciocchi Almeida Melo, 113
2. Leo Kauffmann, 100
3. Felipe Sanguino, 75
4. Juliano Gozzo, 72
5. Ricardo Dal Fabbro, 54

Trilheiros Nacional
1. Pedro Henrique Ramos Da Silva, 122
2. Guilherme Ciocchi Almeida Melo, 97
3. Marcelo De Oliveira Fernandes, 71
4. Aluizio Donizete De Jesus, 40
5. Fabio Henrique Timm, 40

Feminina
1. Janaína Souza, 164
2. Luciana Timm, 136
3. Aline Gorgulho, 126
4. Bárbara Neves, 94
5. Tainá Aguiar, 68

Colaboração e foto: Publix/Lucídio Arruda