Equipe Brasileira a um passo de conquista inédita no Six Days 2017

Os pilotos brasileiros que fazem parte da seleção brasileira na França estão a um dia de conquista inédita para o país. Se desde o começo já brigávamos por um Top 10, entramos no último dia de competição subindo para a oitava colocação entre os países.

O Brasil conseguiu subir mais uma posição no resultado acumulado entre os países e agora ocupa a oitava colocação. O feito é histórico - e inédito para o país-, sendo o melhor resultado brasileiro de todos os tempos. O time brasileiro está à frente de países tradicionais e com histórias de conquistas no Six Days, como EUA, Itália e Espanha, que já ficaram pelo caminho. Os EUA aliás foram os vencedores da edição passada.

Além da disputa por países, os pilotos também tem as disputas individuais e brigam por medalhas. Bruno Crivilin e Rômulo Bottrel estão muito perto da tão sonhada Medalha de Ouro, que são destinadas aos pilotos que ficam com o tempo até 10% do vencedor. Gustavo Pellin também está dentro da margem, mas amanhã não pode facilitar. Diego Colett está na disputa por uma medalha de Prata.

Rômulo Bottrel usou a experiência pra administrar o dia e chegar bem ao final. Sem poder baixar o ritmo pra não perder a medalha de ouro e nem prejudicar a equipe, andou forte e sem errar durante esse quinto dia.

“Tentei manter a regularidade porque percebi que essa é a chave pro time conseguir um resultado expressivo. Pra poder conseguir chegar bem ao final de uma prova longa e desgastante como essa, não podemos cometer erros. Administrei a minha situação para poder conseguir a medalha de ouro. Um erro poderia ser fatal, então mantive a calma e a serenidade e consegui terminar o dia ileso, sem nenhum arranhão. Tenho uma boa margem para amanhã, buscando manter ou até melhorar a oitava colocação da nossa seleção e tentar conquistar a medalha de ouro.”, disse o mineiro Rômulo Botrel.

Quem mais uma vez conseguiu expressivos resultados foi o capixaba Bruno Crivilin, que chegou a fazer tempos muito próximos aos dos melhores pilotos. O resultado agradou o piloto, que mesmo prejudicado por dores e pelas lesões, andou forte durante todo o dia. Crivilin segue sendo o melhor brasileiro nesta edição do Six Days.

“Mais um dia finalizado, o último dia de enduro, amanhã é fechar com chave de ouro na prova de motocross. Estou muito feliz com o desempenho da equipe, conseguimos subir mais uma posição, agora estamos em oitavo. Fico feliz em ver a garra e bravura dos meus companheiros, isso aqui tem sido uma luta árdua a cada dia, uma verdadeira batalha. Andei bem hoje, apesar de alguns pequenos erros, mas nada que pudesse comprometer o resultado. Sigo na margem para a conquista da medalha de ouro, o que seria mais um sonho pra mim. Vamos pra luta, que amanhã tem mais, o último desafio.”, explicou Crivilin.

A prova chega no último dia neste sábado, com a tradicional prova de motocross, pra fechar o Six Days. Os pilotos largam lado a lado no gate e se enfrentam em uma pista montada ao lado do padock. A expectativa da organização é que um público de vinte e cinco mil pessoas acompanhe as disputas deste sábado. Após a prova de Motocross, acontece a premiação e a festa de encerramento do Internacional Six Days de Enduro. 

Colaboração e foto: Orange BH/Janjão Santiago